Conheça as cinco máquinas mais caras da Expocafé, em Três Pontas

Imprimir

 

Quando se fala em preço das máquinas que trabalham nas lavouras de café, as colhedoras ganham disparado no ranking das mais caras expostas na Expocafé, em Três Pontas (MG). No entanto, o custo benefício trazido por elas é o que atrai os produtores e deixa muitos com vontade de investir um pouco a mais.

Mas o que são colhedoras? Desenvolvidas inicialmente para a colheita de milho e trigo, essas máquinas foram se adaptando a diversos tipos de plantações. Hoje, são utilizadas na maioria das grandes lavouras e ajudam o café a ter uma qualidade melhor, já que a colheita é feita com maior rapidez, menos desperdício e com menor teor de impurezas.

1º lugar: K3500, R$ 850.000,00
Este modelo se diferencia pela sua multifuncionalidade. Além de colher o café, é capaz de participar da pulverização e da poda do café. Com isso, a máquina participa de várias etapas da produção e pode ser utilizada na maior parte do processo.
K3500, R$ 850.000,00 (Foto: Régis Melo)

2º lugar: Colhedora eletrônica automotriz, R$ 631.000,00
Traz um sistema de compensação para manter velocidade e vibração sempre constante. Promete ser 30% mais eficiente do que máquinas similares que não utilizem o sistema.
Colhedora eletrônica automotriz, R$ 631.000,00 (Foto: Régis Melo)

3º lugar: Colhedora de café safra zero, R$ 600.000,00
Ainda em fase de testes, esse modelo só pode ser encomendado. É uma máquina multifuncional, capaz de colher os graõs, esqueletar e decotar a planta, e triturar os galhos que ficam no solo.
Colhedora de café safra zero, R$ 600.000,00 (Foto: Régis Melo)

4/5º lugar: F2, R$ 580.000,00
Este modelo traz batedores desalinhados, ou seja, um fica atrás do outro cerca de 70cm. Segundo a empresa, primeiro ela trabalha em um lado do pé de café e depois do outro, o que agridiria menos a planta.
F2, R$ 580.000,00 (Foto: Régis Melo)

4/5º lugar: P1000, R$ 580.000,00
Com uma cabine mais ampla, este modelo promete maior conforto ao motorista. Traz também um sistema de descarregamento automático e dupla abanação, que garante menos impurezas no reservatório.
P1000, R$ 580.000,00 (Foto: Régis Melo)

Fonte: G1 Sul de Minas (Régis Melo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *