Confira o noticíario do sistema FAEMG – 02/05/12

Imprimir

* A Abimilho (Associação Brasileira da Indústria do Milho), entidade que representa as principais empresas de processamento do cereal no país, está lançando uma campanha de divulgação, em todo o território nacional, para estimular o consumo de milho. O objetivo é demonstrar para o consumidor as propriedades nutricionais do milho. A média de consumo no Brasil, em torno de 18 quilos por habitante por ano, está muito aquém da registrada por outros países de condições socioeconômicas similares às do Brasil, como o México, cujo consumo per capita é de 63 quilos. (Diário do Comércio)

* Representantes de produtores, exportadores e torrefadores de café reúnem-se nesta quinta-feira (3), com representantes do governo, para discutir assuntos da pauta do CDPC (Conselho Deliberativo da Política Cafeeira). O conselho discutirá um plano estratégico para o desenvolvimento do setor cafeeiro que integrará a política governamental de 2012 a 2015. O presidente das Comissões de Café da FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais) e CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), Breno Mesquita, participa da reunião. (Ministério da Agricultura)

* O Brasil está fazendo um esforço de lobby para dar metas à Rio+20. Numa reunião preparatória em Nova York, o país tentará resgatar os chamados ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), um dos resultados esperados da cúpula do Rio. O texto da conferência que está sendo negociado na sede da ONU, chamado de "Rascunho Um", enfraqueceu os objetivos ao propor que eles sejam estabelecidos apenas a partir de 2015. O anfitrião da conferência do Rio e vários outros países querem que os objetivos sejam lançados já na Rio+20 e adotados em 2015. (Folha de São Paulo)

* O agronegócio brasileiro consolidou-se como um dos mais eficientes do mundo na última década e deverá ampliar seu protagonismo até 2022 – em menor velocidade, mas com ganhos de mercado em quase todas as principais cadeias produtivas. O cenário é corroborado pelo mais amplo estudo já realizado pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) sobre o setor, que será divulgado nesta quarta-feira (2). O trabalho consolida uma nova postura da entidade em relação ao agronegócio e sua importância para outros setores da economia. (Valor Econômico)

Fonte: Assessoria de Comunicação FAEMG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *