Confira dicas para fazer o melhor café em casa

Imprimir
Não tem nada como aquele cafezinho preparado na hora não é mesmo? Além de ser super saboroso e ter até mesmo benefícios de saúde, o café traz conforto, energia e influencia até no estado emocional das pessoas. Afinal, quantas lembranças o cheirinho da bebida passada na hora é capaz de trazer…

Os números apenas confirmam a percepção de que a bebida predileta dos brasileiros é mesmo o café: cada um de nós consome, em média, 1680 xícaras de café por ano ou pouco mais de quatro por dia. Sim, o Brasil é o segundo maior mercado consumidor de café do mundo, perdendo apenas para aos Estados Unidos. Além disso, estima-se que 93% de toda essa bebida é feita em casa com o uso de coador de pano ou papel.

Para Gelma Franco, especialista em cafés, o Brasil está vivendo um movimento interessante no consumo de café. “O café coado vem invadindo as cafeterias e restaurantes. Já o café espresso e as monodoses, como sachês e cápsulas, estão fazendo o caminho inverso e estacionando nas mesas das famílias”, diz. Isso significa que estamos buscando replicar o sabor do café em várias situações e formas.

Veja dicas para fazer o melhor café do mundo em casa:

A escolha do café – Gelma recomenda a escolha de cafés 100% arábica classificados como gourmet ou especial e que tenham selos de certificação ou procedência. “Esse tipo de grão é considerado nobre e produz uma bebida normalmente mais doce, chegando muitas vezes a dispensar o uso de açúcar”, diz. O aroma e o sabor podem lembrar cereais torrados, flores, frutas ou achocolatados. O café arábica pode ser comprado em casas especializadas.

Em grãos ou moído? – O ideal é comprar o café torrado em grão e moer na hora para conseguir preservar todo o frescor e aromas desse café. Caso não possua o equipamento, pode-se usar o café já torrado e moído, mas que seja acondicionado em embalagem com válvula de respiro para preservar o aroma por mais tempo. Embalagens à vácuo também são boas, porque evitam a oxidação.

Água filtrada e quente – Use sempre água filtrada porque a água natural contém cloro e flúor que alteram o sabor da bebida. Jamais use água fervente porque isso queima o pó. “O ideal é esquentar a água e desligar o fogo antes de realmente começar a ferver”, alerta Gelma. Outra dica é escaldar bule, coador, filtro e até mesmo a xícara antes de usar. Tudo ajuda para manter a temperatura ideal do café.

Quantidade e acondicionamento do pó – Depois de aberta a embalagem, Gelma orienta a colocar o pó num frasco hermeticamente fechado e manter na geladeira. Sobre a quantidade, a especialista diz que a medida ideal é 10 gramas de pó para cada 100 mililitros de água.

Filtro e Garrafa térmica – Para Gelma o filtro de pano é melhor porque ‘segura’ mais os aromas do café. “Além disso, o pó deve ser colocado delicadamente dentro do filtro”. Já a garrafa térmica não é recomendada.
Passando o café – Faça uma pré-infusão: coloque o pó de café no filtro e espalhe um pouco de água quente. É importante para umedecer todo o pó moído de forma homogênea, facilitando a extração por todas as partículas do café. Em seguida coloque a água, partindo do centro, fazendo movimentos circulares, bem devagar para que não formem bolhas ou crie deslocamento brusco na posição do pó no porta-filtro.

Sirva imediatamente – Café bom é café fresco e consumido de imediato.

Fonte: Jornal de Jundiaí

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *