Concurso de Qualidade do Café de Rondônia tem amostras analisadas pela Idaron

Imprimir
Classificador de café da Idaron, Ivo Bulhões. (Foto: Amabile Casarin / Secom - Governo de Rondônia)
Classificador de café da Idaron, Ivo Bulhões. (Foto: Amabile Casarin / Secom – Governo de Rondônia)

Para cumprir uma das etapas do Concurso de Qualidade e Sustentabilidade do Café Canéfora do Estado de Rondônia, a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron) analisou as amostras entregues pelos cafeicultores participantes da competição. A verificação das amostras foi realizada no posto de classificação de grãos da Idaron em Machadinho do Oeste

O classificador de café da Idaron Ivo Bulhões informa que no laboratório da Agência foi feita a análise física dos grãos, como tamanho, defeitos, umidade, aferição do tipo de café, entre outros aspectos. O classificador ressalta que as amostras estavam numeradas, sem identificação do produtor, o que garante a imparcialidade da avaliação.

O classificador Ivo também conta que a análise foi feita de acordo com a Instrução Normativa n. 8 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que aprova o Regulamento Técnico de Identidade e de Qualidade para a Classificação do Café Beneficiado Grão Cru, e com a Tabela de Classificação Oficial Brasileira. A partir desses documentos, foram avaliados o número de defeitos das amostras entregues pelos produtores.

No concurso foi estabelecido que a umidade dos grãos deveria ser entre 11% e 13% e que os grãos deveriam ser de peneira acima de 12. No total, foram desclassificadas 29 amostras. “Algumas amostras foram desclassificadas por apresentarem odor estranho, outras por critérios de umidades, outras por causa da cor ou aspecto”.

Segundo o classificador, Rondônia tem capacidade de produzir o melhor café conilon do mundo. “O concurso é um sucesso. Os produtores estão de parabéns. As amostras que passaram pela análise são de ótima qualidade”.

A gerente de Defesa Vegetal, Rachel Barbosa, fala que a classificação permite determinar que o café está com qualidade dentro de um padrão de mercado exigente, e com isso concorrer com os melhores cafés do país. “O objetivo não é a competição, mas a conscientização para um trabalho de melhoria e busca pela qualidade do café de Rondônia”, completa.

Para essa avaliação, foram utilizadas 300 gramas da amostra de um quilo enviada para a Idaron pela Emater/RO. O restante ficará armazenado por critério técnico e legal.

O Concurso de Qualidade do Café faz parte do programa de revitalização da cafeicultura, desenvolvido pelo Governo do Estado, que busca aumentar a produção e a qualidade do café. O resultado final do Concurso será conhecido no dia 14 de setembro, em Porto Velho, quando serão premiados os três melhores cafés de Rondônia.

CLASSIFICAÇÃO DE CAFÉ

De acordo com Ivo Bulhões, a Idaron está à disposição dos cafeicultores para orientá-los sobre boas práticas de produção de café e para a classificação dos grãos. “A melhoria do café passa pela classificação, porque sem a classificação não tem aferição da qualidade, e só é possível por demanda do produtor”.

Fonte: Secom – Governo de Rondônia (Por Amabile Casarin)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *