Conab eleva safra de café 11/12 para 43,5 mi sacas

Imprimir

O Brasil produziu 43,5 milhões de sacas de café na temporada 2011/12, a maior safra em um ano de baixa no ciclo bianual do arábica, informou nesta quarta-feira a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que elevou sua projeção ante a última pesquisa.

No levantamento anterior, a Conab havia estimado a safra em 43,15 milhões de sacas. No ciclo 2010/11, ano de alta no ciclo, a produção do país atingiu 48,1 milhões de sacas.

"A safra estimada para 2011 é mais otimista do que aquela divulgada no levantamento anterior (setembro/2011), tendo em vista o melhor rendimento do café colhido no final da safra em Minas Gerais (503 mil sacas), Bahia (23 mil sacas) e Paraná (17 mil sacas)", apontou a estatal em seu último levantamento para a colheita deste ano.

Segundo a Conab, apesar da estiagem ocorrida entre os meses de novembro 2010 e fevereiro 2011, a produção estimada é a maior dos anos de baixa bienalidade.

"O melhor desempenho da produção se deve principalmente às condições climáticas favoráveis na maioria das regiões produtoras, em resposta aos tratos culturais realizados pelos produtores em 2009, que refletiram na safra atual, e aos bons preços do café, que possibilitaram ao produtor investir mais na lavoura", afirmou a estatal em relatório.

A área cultivada com café no país totalizou 2,27 milhões de hectares em 11/12, queda de 0,85 por cento ante a safra anterior. Ou seja, foram erradicados 11.090 hectares, segundo a Conab.

Do total cultivado, 2,05 milhões de hectares estão em produção e 221 mil hectares em formação.

No Estado de Minas Gerais está concentrada a maior área, com 1 milhão de hectares.

PRÓXIMA SAFRA

Para a próxima safra, cuja colheita deve começar em abril, as chuvas de agosto e setembro de 2011 foram insuficientes para a abertura da primeira florada no norte de São Paulo e no Sul e Cerrado de Minas Gerais, que só ocorreu a partir de outubro.

"Os veranicos dos meses anteriores, associado aos efeitos das geadas de junho, também prejudicaram a fase vegetativa de algumas lavouras. Em novembro, ainda ocorreram chuvas com granizo no norte do Espírito Santo, que derrubaram frutos em formação", comentou a Conab em relatório, sem fazer prognósticos de produção.

Em função do tempo seco, traders estão reduzindo as suas expectativas de produção para a temporada 2012/13, que será a de alta do ciclo de produção do arábica no maior produtor e exportador global de café.

Para o trimestre de janeiro a março do ano que vem, segundo avaliação climatológica da Conab, "não se descartam condições de excesso de chuva em áreas das regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste sob influência do sistema conhecido como Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) e associadas a sistemas convectivos locais, que poderão causar algum prejuízo".

A Conab deve divulgar sua primeira estimativa para a próxima safra em 10 de janeiro.

Fonte: Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *