Com respeito a protocolos sanitários, BSCA retoma formação de Q-Graders

Imprimir
Atendendo à intensa demanda de provadores e classificadores do mercado, a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) retoma a realização de seus cursos de formação de Q-Graders, que não eram ministrados desde o fim de 2019 devido à pandemia do novo coronavírus.

“Recebemos muitos contatos solicitando a retomada de nossa capacitação. Adaptamos todos os procedimentos aos protocolos dos órgãos de saúde nacionais e mundiais relacionados à prevenção contra a Covid-19 e conseguiremos ministrar os cursos respeitando a vida e a saúde de todos os envolvidos, desde alunos até os profissionais da BSCA”, revela Vanusia Nogueira, diretora da entidade.

Já foram fechadas duas e a terceira turma de formação de Q-Graders ainda possui vagas em aberto. Essa última será realizada entre 10 e 15 de maio, na sede da BSCA, em Varginha (MG), das 8h às 18h, com aulas ministradas pelo instrutor Joel Shuler.

Além dessas três turmas, a Associação informa que os interessados em realizar a capacitação podem entrar em contato com a entidade – através do e-mail luisa@bsca.com.br – e fazer sua solicitação para inclusão na lista de espera dos cursos futuros.

Q-GRADERS

Os profissionais que obtêm o certificado de Q-Grader se qualificam como provadores e classificadores de café mundialmente reconhecidos pelo Instituto de Qualidade do Café (Coffee Quality Institute – CQI), entidade internacional, sediada nos EUA, que trabalha para a evolução da qualidade cafeeira global através de treinamentos e exames práticos, os quais permitem o desenvolvimento de competências para a análise sensorial, além da habilidade em avaliar os defeitos da bebida.

Os cursos possuem vagas limitadas e os alunos serão submetidos a treinamentos e exames desenvolvidos com base na metodologia da antiga Specialty Coffee American Association (SCAA), atualmente Specialty Coffee Association (SCA).

As aulas contêm exercícios teóricos e práticos e, ao final, os alunos realizam exames para buscarem a obtenção da “Licença Q-Grader”, que os capacitará para atuarem no comércio de cafés com qualidade certificada, tornando-se aptos a avaliar a diferença de grãos de várias origens, como Etiópia, Quênia, Indonésia, Colômbia, Guatemala, Brasil, entre outros.

O EXAME
A formação de um Q-Grader envolve o conhecimento de todas as etapas da produção de café. O curso é composto por 19 ações sobre assuntos relacionados ao produto, como a classificação, a identificação de torra, as habilidades sensoriais e a triangulação sensorial.

Os itens abordados nos exames são: conhecimentos gerais do café, testes de habilidade sensorial, olfativo, de triangulação, de ácidos orgânicos, de torra e testes de xícaras, além de identificação de amostras de torras e café verde.

Para se inscrever na terceira turma, que possui as últimas vagas em aberto, o interessado deverá acessar o site da BSCA, através do link https://bsca.com.br/qgrader.

SOBRE JOEL SHULER
É especialista em processamento pós-colheita e análise de qualidade do café. Possui mestrado em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Lavras (Ufla), com foco em processamento pós-colheita. O status de Q Arabica, Q Robusta e Q Processing permitiu que passasse a contribuir com o trabalho do CQI em processamento, que inclui o gerenciamento do curso de nível 3 de Q Processing inovador.

Como consultor pós-colheita, trabalhou em diversos projetos globais, incluindo o desenvolvimento do programa Q Processing, de padrões de café para as Filipinas, de manual de processamento pós-colheita para Yunnan, na China, o fornecimento de suporte pós-colheita para a indústria nascente de cafés especiais em Mianmar e a realização de trabalhos com vários cafeicultores no Brasil para melhorar a qualidade do café.

Fonte: BSCA – Assessoria de Imprensa