Com preço alto, café se destaca nas exportações agropecuárias

Imprimir

Mas em janeiro, em meio a preços elevados no mercado internacional e à entressafra de alguns produtos, as receitas obtidas com a tradicional commodity brasileira ganharam destaque.

No mês passado, em um período de menor oferta de produtos como a soja, o café teve o melhor desempenho em receita observando as commodities agrícolas isoladamente, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) divulgados nesta terça-feira.

As vendas de café verde do país atingiram 526,7 milhões de dólares em janeiro, alta de 74 por cento ante o mesmo período do ano passado, com as receitas superando as obtidas com os embarques de carne de frango (504 milhões de dólares), soja em grão (107,1 milhões de dólares) e açúcar bruto (500 milhões de dólares).

Entretanto, quando se soma açúcar bruto com o produto refinado, e também as exportações de etanol, o setor sucroalcooleiro passa a liderar as vendas em janeiro, com quase 800 milhões de dólares de exportações.

E isso só acontece também porque o complexo soja, tradicional líder da pauta do agronegócio, está em baixa nesse período de entressafra. Mesmo assim, a oleaginosa (incluindo grão, farelo e óleo) registrou vendas de 582 milhões de dólares no mês passado.

VOLUMES

Em janeiro, o Brasil exportou 2,58 milhões de sacas de 60 kg de café, cerca de 500 mil sacas acima das verificadas no mesmo mês do ano passado, quando a receita foi de 322 milhões de dólares –os preços futuros do café estão nos maiores níveis em mais de 13 anos na bolsa de Nova York, o que também colabora para o bom desempenho em dólares do setor.

Em dezembro, quando o Brasil embarcou um recorde superior a 3 milhões de sacas, as vendas externas somaram 631 milhões de dólares.

Já os embarques de açúcar (bruto e refinado) registraram queda de cerca de 500 mil toneladas em relação a janeiro de 2010, somando 1,29 milhão de toneladas no mês passado.

Os embarques de açúcar arrefeceram em janeiro após registrarem recordes em vários meses do ano passado, diante da forte demanda internacional pelo produto brasileiro. Agora o setor sucroalcooleiro também está na entressafra no centro-sul do país, a principal região produtora.

Fonte: Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *