Colômbia espera que chuvas fortes acabem em março

Imprimir

A Colômbia espera que o fenômeno climático La Niña, que provocou fortes chuvas pelo terceiro ano seguido e prejudicou a produção de café do país, comece a enfraquecer em fevereiro e acabe em março.

"Tivemos um volume de chuvas menor do que em 2010 e começo de 2011. Houve dias intermitentes de clima bom e chuvas", disse Maria Teresa Martinez, chefe de previsões do instituto climático oficial IDEAM.

Mas o impacto do La Niña na infraestrutura colombiana foi devastador nos últimos meses. Deslizamentos de terra provocaram dezenas de mortes, e algumas cidades da região produtora de café tiveram inundações. As fortes chuvas também afetaram a produção e distribuição de alimentos, provocando altas dos preços.

Os preços dos alimentos, que representam mais de um quarto da cesta usada para o índice de inflação, subiram 0,56% em dezembro. Em 2011 a inflação atingiu 3,73%, perto da máxima da meta do banco central de 4%, principalmente devido aos preços mais altos dos alimentos.

Entretanto, muitos analistas acreditam que a alta dos preços vai perder força conforme as chuvas diminuem. Martinez afirmou esperar que o clima volte ao normal em março.

A produção de café da Colômbia caiu em novembro 14% em relação ao mesmo mês do ano anterior, para 845 mil sacas, de acordo com a Federação Nacional de Cafeicultores. A produção total da Colômbia na temporada 2011/12, que começou em 1o de outubro, deve totalizar 8,5 milhões de sacas, estável em relação a 2010/11. Em um bom ano, o país produz 11 milhões de sacas. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *