Coador de pano ainda é o preferido entre concorrentes de concurso do melhor café

Imprimir

Qual o melhor café? Passado na máquina ou no coador pano? O gostos variam. No Paraná tem concurso para escolher o melhor café, mas tem que ser feito a moda antiga.

Irresistivel no aroma, incomparavel no sabor – o tradicional cafezinho está entre as bebidas mais consumidas no mundo. "Não existe nada comparável ao café", diz um fã da bebida.

Só o que muda é o jeito de "fazer" café. Na era do expresso, tem máquina que entrega pronto. Mas para muita gente, o melhor cafezinho continua sendo o da moda antiga, com jeito e sabor de roça.

Em Mandaguari, onde se produz um dos melhores grãos do Brasil, tem até concurso, feito pela cooperativa da cidade, para escolher o "cafézinho" do ano.

No concurso, todas as participantes usam o mesmo pó de café, produzido no município. O que vai definir o cafezinho campeão é o jeito de fazer. O ponto de fervura da água, a hora de colocar o açúcar e o tipo de filtro usado. A maioria prefere passar o café como nos velhos tempos, com coador de pano. "Porque coa mais devagar, o outro é mais rápido. O sabor fica mais, dá mais aroma ao café", explica a concorrente Maria Rosa Rosseto.

A comissão julgadora prova, degusta, para só então decidir. E quando o assunto é sabor, a diferença entre o caseiro e o expresso é uma questão de gosto. O da máquina é mais encorpado. O do coador, mais suave.

E pelo jeito, o antigo cafezinho passado na hora, vai continuar fazendo sucesso por muito tempo ainda. Até entre os especialistas. "Eu gosto do café do pano, adoro. Porque o café gostoso quando você coloca na boca, passa pouco tempo e você já está com vontade porque fica gravado no cérebro o café gostoso", revela outro amante da bebida.

Fonte: Globo.com | Bom Dia Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *