CNC aposta em ampliação de 50% na produtividade em 10 anos

Imprimir

O presidente do Conselho Nacional do Café (CNC), Silas Brasileiro, garantiu que é possível ampliar a produtividade dos cafezais em 50% nos próximos dez anos, sem ampliação de área, tema principal da reunião de quinta-feira, 03/05, do Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC), no auditório do Ministério da Agricultura.

Se o crescimento de 50% for mesmo alcançado – e o Mapa parece mesmo disposto a apoiar o salto produtivo-tecnológico – o rendimento médio dos cafezais passaria de 21 sacas para 30 sacas, na área atual de 2,2 milhões de hectares. O secretário de Produção e Agroenergia, Gerardo Fontelles, não projeta tamanho crescimento. A ampliação da produtividade é o ponto principal do Plano Plurianual da Cafeicultura para 2012 a 2015. Na mesma reunião foi apresentado o novo gerente do Consórcio Embrapa Café, Gabriel Bartholo.

Segundo o presidente do CNC e o secretário, o salto na produtividade vai se dar com a utilização de novas variedades resistentes aos problemas climáticos, pragas e doenças, manejo adequado, maior adensamento das lavouras, além da mecanização dos cafezais, inclusive nas regiões mais acidentadas.

O foco do Ministério será a pesquisa do Consórcio Embrapa Café, que deverá receber R$ 12 milhões este ano, para o desenvolvimento de tecnologias mais produtivas. Gerardo Fontelles garantiu que recursos não irão faltar. O secretário também procurou tranquilizar os cafeicultores dizendo que a comercialização da safra atual também terá apoio do Mapa. "Os recursos irão chegar na hora certa para a sustentação da colheita", completou Fontelles.

Foi confirmado na reunião o orçamento do Funcafé para este ano, que será de R$ 2,45 bilhões com um reforço de mais R$ 2 bilhoes das exigibilidades sobre os depósitos à vista do Banco do Brasil.

A meta do governo com o ganho de produtividade é reduzir a bienalidade da produção garantindo safras mais uniformes, mais previsibilidade para o mercado, gerando equilíbrio nos preços. Para o cafeicultor também garantirá renda mais equilibrada, sem tantos altos e baixos.

Fonte: Agência Safras

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *