Classificação Comercial do Café – Parte II

O exame da tabela de equivalência mostra que conforme a natureza do grão imperfeito e impurezas o defeito recebe um valor que pode variar de 1 a 5. Essa tabela toma por base o grão preto, que é considerado o principal defeito no Brasil. Nos Estados Unidos e Europa, o principal defeito alem do preto e o verde escuro, também conhecido por Stiker ou Quacker, que confere à bebida do café um gosto bastante prejudicial, afetando sensivelmente a formação de ligas naqueles países.

TABELA DE EQUIVALÊNCIA DE DEFEITOS

DEFEITOS
EXTRÍNSECOS
DEFEITOS
INTRÍNSECOS
DEFEITO VALOR DEFEITO VALOR
1
pedra, pau ou torrão grande
5 1
grão preto
1
1
pedra, pau ou torrão regular
2 2
ardidos

1
1
pedra, pau ou torrão pequeno
1 2/5
brocados
1
1
coco
1 3
conchas
1
1
casca grande
1 5
verdes

1
2
marinheiros
1 5
quebrados
1
2
a 3 cascas pequenas
1 5
chochos ou mal granados
1

Os defeitos além do aspecto podem interferir diretamente na bebida, a bebida dos nossos cafés tem como fator desfavorável o excessivo número de defeitos, principalmente pretos, verdes e ardidos. Basta saber que apenas 2 grãos ardidos são suficientes para prejudicar a sabor de 50 gramas do mais suave café.
Os grãos esmagados, chuvados, mordidos pelo despolpador, cafés cabeça,”preto/verde” ou geados, triângulos e podres, não constam da tabela de equivalência.
  1. Esmagados: Originam-se do pisoteio no terreiro de secagem e prejudicam o aspecto e torração do café.
  2. Chuvados: Originam-se da ação prolongada das chuvas durante a secagem, prejudicam o aspecto e a bebida.
  3. Café cabeça: Origina-se de fatores fisiológicos inteiro não é considerado defeito, mas a sua separação da origem a dois defeitos: 1 concha e 1 miolo de concha (mal granado).
  4. Preto/Verde ou geado: Origina-se da ação da geada sobre o café, o que causa uma cor escura brilhante na película prateada. Na realidade são grãos ardidos e deveriam ser classificados como tal.
  5. Triângulos: São grãos que apresentam um formato triangular devido ao desenvolvimento de 3 grãos no mesmo fruto. Prejudicam o aspecto e a torração.
  6. Podres: São causados pelo excesso de umidade contida em grãos armazenados ou pelo contato direto com o piso. Quando detectados esses grãos, deve-se emitir o laudo de constatação, pois esses cafés não devem ser negociados(N.N) por serem impróprios para o consumo, podendo apresentar certas toxinas (aflatoxinas)que são prejudiciais aos seres humanos.

TABELA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO POR TIPO

Essa tabela é utilizada para amostras de café beneficiado com peso de 300 gramas. O tipo considerado como base é o tipo 4 com 26 defeitos, a partir do qual foi elaborada a tabela. Nas operações comerciais o tipo base pode variar de acordo com o porto onde é embarcado.

Assim temos no Brasil a seguinte distribuição:

  • Vitória, Bahia e Pernambuco – o tipo base e o 7/8
  • Rio de Janeiro – o tipo base e o 7
  • Santos e Paranaguá – o tipo base e o 4

Na tabela oficial não existe o tipo 1, pois tal tipo seria isento de defeitos. Na prática não existe café que não tenha pelo menos 1 defeito. o melhor tipo portanto é o 2 com apenas 4 defeitos e o pior deles é o tipo 8 com `X” defeitos. O tipo base (4) equivale a zero pontos, sendo que para tipos melhores que o base os pontos são positivos e para piores são negativos. Entre um tipo e outro há uma diferença de 50 pontos, divididos de 5 em 5. Esses pontos devem ser considerados pois a cada ponto da tabela equivale um valor monetário.

TABELA OFICIAL PARA CLASSIFICAÇÃO
(Latas de 300 gramas)



TIPOS
DEFEITOS
TIPOS
DEFEITOS
TIPOS
DEFEITOS
2 4 4 26 6 86
2-5 4 4-5 28 6-5 93
2-10 5 4-10 30 6-10 100
2-15 6 4-15 32 6-15 108
2-20 7 4-20 34 6-20 115
2-25
(2/3)
8 4-25
(4/5)
36 6-25
(6/7)
123
2-30 9 4-30 38 6-30 130
2-35 10 4-35 40 6-35 138
2-40 11 4-40 42 6-40 145
2-45 11 4-45 44 6-45 152
3 12 5 46 7 160
3-5 13 5-5 49 7-5 180
3-10 15 5-10 53 7-10 200
3-15 17 5-15 57 7-15 220
3-20 18 5-20 61 7-20 240
3-25
(3/4)
19 5-25
(5/6)
64 7-25
(7/8)
260
3-30 20 5-30 68 7-30 280
3-35 22 5-35 71 7-35 300
3-40 23 5-40 75 7-40 320
3-45 25 5-45 79 7-45 340
8 360




2 thoughts on “Classificação Comercial do Café – Parte II

  • 24/03/2017 at 9:33 pm
    Permalink

    Bruno, se o café brocado possui “um ou dois furos” , você considera 5 grãos para um defeito, agora se o grão brocado possui vários furos, você considera dois grãos como um defeito, só que hoje o mercado preocupa mais com um todo ou seja a quantidade total de defeitos, o percentual de “cata” do café, na prática não se conta mais os defeitos.

    Reply
  • 18/02/2017 at 3:35 pm
    Permalink

    Gostaria de saber como vou diferenciar os grãos brocados quanto a equivalência, pois a norma descreve que de dois a cinco grãos brocado há uma equivalência de um defeito, dessa forma quando dois grãos brocados vão ser um defeito e na outra extremidade, quando 5 grãos brocados vão ser um defeito?

    Obrigado.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *