Chuvas nas regiões produtoras são favoráveis ao desenvolvimento do cafeeiro, mas grande volume pode causar prejuízos

Imprimir

As boas chuvas que vem ocorrendo nas últimas semanas sobre praticamente todas as regiões produtoras de café da região Sudeste estão mantendo as condições bastante favoráveis ao desenvolvimento dos cafezais, tanto para o desenvolvimento vegetativo da planta quanto para o desenvolvimento e crescimento dos grãos. A análise parte do boletim agrometeorológico semanal da Somar Meteorologia.

A grande maioria dos grãos de café, quase 90% deles, já se encontra na fase de granação. Assim, aponta a Somar, as boas taxas de umidade do solo junto com a ocorrência de temperaturas mais amenas estão possibilitando um bom desenvolvimento dos grãos. E como as taxas de área foliar também estão se elevando, houve uma paralisação na queda dos grãos, interrompendo a quebra da produtividade que já estava alta, devido aos vários fatores adversos, como o longo período de seca entre os meses de abril a novembro, que levou a altas taxas de desfolhamento da planta.

Entretanto, coloca o boletim, na região da zona da mata mineira e em todas as regiões produtoras do Espírito Santo as fortes e contínuas chuvas que vêm ocorrendo nessas últimas semanas estão provocando prejuízos aos produtores. O excesso de umidade e consequentemente as baixas taxas de radiação solar favorecem a proliferação de doenças como a ferrugem do cafeeiro e a phoma. E, como os produtores não conseguem ir a campo para controlar/combater essas enfermidades, há uma redução nos potenciais produtivos nas plantas. Além disso, as fortes chuvas já provocaram o deslizamento de alguns cafezais plantados em encostas, mas os danos até agora são mínimos, indica a Somar.

Segundo a Somar, o problema é que para essa semana estão previstas mais chuvas intensas e com volumes acumulados superiores a 100 mm e isso trará mais problemas aos produtores das regiões centrais de Minas Gerais, zona da mata mineira e para todas as regiões cafeeiras do Espírito Santo. Já nas demais regiões produtoras de Minas Gerais, São Paulo e norte do Paraná a previsão é de pancadas de chuvas com volumes acumulados que não deverão ultrapassar os 30 mm. Dessa maneira, as condições se manterão bastantes favoráveis ao desenvolvimento vegetativo da planta e ao desenvolvimento dos grãos, conclui o boletim.

Fonte: Somar Meteorologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *