Chuvas acumuladas de mais 50 mm e de granizo registradas no fim de semana no cinturão produtivo do Brasil; veja imagens

Imprimir

O cinturão produtivo de café do Brasil recebeu boas chuvas nos últimos dias após várias semanas sem precipitações expressivas e com lavouras enfrentando intensa desfolha, o que fatalmente refletirá na produção da safra 2018/19 do país. Em algumas regiões produtoras de Minas Gerais, por exemplo, já eram mais de 40 dias com condições climáticas adversas para as plantações. De acordo com dados de estações meteorológicas alguns municípios produtores receberam mais de 50 milímetros de chuvas no fim de semana. Essas precipitações, no entanto, conseguem garantir que os produtores não tenham novas perdas.

De acordo com o Sismet, sistema meteorologia da Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé), no final de semana (sábado e domingo) Alfenas (MG) registrou 24,2 mm de chuvas, Campos Gerais (MG) anotou 69,6 mm, já Carmo do Rio Claro (MG) teve 37,2 mm, Coromandel (MG) registrou 28,4 mm, Monte Carmelo (MG) 00 mm, Serra do Salitre (MG) anotou 33 mm e Guaxupé (MG) 00 mm. Segundo registros de redes sociais houve registro de granizo em Gonçalves (MG), no Sul de Minas Gerais, e Unaí (MG), Noroeste do estado. (Veja imagens abaixo)

Para o engenheiro agrônomo da Fundação Procafé, em Franca (SP), Marcelo Jordão Filho, essas precipitações melhoram as condições das lavouras brasileiras de café, mas não devem reverter as perdas já registradas. Muitas lavouras do cinturão produtivo brasileiro tiveram intensa desfolha – proteção natural das plantas para preservar energia. “De maneira geral, não revertemos prejuízos, apenas o paralisamos com o retorno das chuvas e posteriormente a abertura floral fica mais fácil”, afirmou o especialista em entrevista na semana passada ao Notícias Agrícolas. Jordão Filho ressalta que as chuvas que caíram recentemente foram bastante irregulares.

Mapas climáticos mostram que o cinturão produtivo de café do Brasil deve receber chuvas durante toda essa semana. A partir do dia 8, no entanto, o tempo volta a ficar mais seco em todo o Brasil central e novas precipitações podem ocorrer a partir do dia 15, segundo mostram tendências do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

Na semana passada, diante da previsão de chuvas para o Brasil, que acabou se confirmando no fim de semana, a Bolsa de Nova York (ICE Futures US), principal referência para os negócios com o grão no mundo, acabou recuando quase 5%. O vencimento dezembro/17, referência de mercado, fechou abaixo do patamar de US$ 1,30 por libra-peso. Analistas internacionais chegaram a apontar nas últimas semanas que a próxima safra do Brasil poderia chegar a 60 milhões de sacas de 60 kg de arábica e também conilon, um recorde, mas já revisam essas projeções.

Veja imagens das chuvas no fim de semana em Minas Gerais:

 Chuva de granizo Gonçalves (MG) - Foto: Aécio Silveira da Silva e Silvana Barbosa Chuva de granizo em Unaí (MG) - Foto: Reprodução/Redes SociaisChuva de granizo em Unaí (MG) - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *