Chuva favorece safra de café em MG, mas pode atrapalhar, diz Minasul

Imprimir
Fortes chuvas em Minas Gerais nas últimas semanas ajudaram a safra de café da região, mas representam risco à produção se continuarem por muito mais tempo, de acordo com o presidente da cooperativa Minasul, José Marcos Magalhães. No sul e centro-oeste do Estado, que produzem cerca de 40% do café arábica brasileiro, houve chuva forte nos dois primeiros meses deste ano.

A precipitação beneficiou as plantas de café da região, favorecendo o enchimento dos grãos num momento importante do desenvolvimento das culturas, afirmou Magalhães em entrevista na segunda-feira, 9. A perspectiva para a área é de mais chuva nos próximos dez dias, o que não deve prejudicar a safra, diz ele. “Mas se a chuva continuar depois disso, vai causar problemas”, afirma.

A safra 2020 já começou com alguns problemas e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) projeta que ela será menor do que a de 2018. Tempo ruim no fim de 2018 e 2019 e geadas em meados do ano passado afetaram o desenvolvimento da cultura e reduziram a produtividade para 2020, disse Magalhães.

Presidente da Minasul, José Marcos Rafael Magalhães (800 x 533)A produção de arábica do Brasil segue um ciclo de dois anos (bienalidade) em que a produção é maior. A Conab projeta safra de arábica em 2020 de até 46 milhões de sacas de 60 quilos, ante 47,8 milhões de sacas em 2018 e 34,3 milhões de sacas em 2019.

A Minasul espera receber 1,6 milhão de sacas de café de seus membros este ano, após 1,4 milhão de sacas no ano passado e 1,5 milhão em 2018. O crescimento nos últimos dois anos se deve principalmente ao maior número de associados à cooperativa, disse Magalhães. A Minasul tem hoje cerca de 8.000 membros, alta ante os cerca de 6.500 em 2018.

Os cooperados estão se beneficiando da moeda desvalorizada do Brasil, segundo Magalhães. O real perdeu mais de 15% do seu valor ante o dólar desde o início do ano com preocupações sobre o ritmo da aprovação das reformas econômicas no Congresso e, mais recentemente, sobre a epidemia global de coronavírus.

Produtores rurais compraram a maior parte de seus fertilizantes e agrotóxicos, que costumam ser adquiridos em dólar, há meses, e começaram a vender sua safra 2020 mais recentemente, deixando os membros da Minasul em melhor condição financeira, conclui Magalhães.

Fonte: Estadão Conteúdo via Dow Jones Newswires

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *