Chega a 59 número de unidades produtoras de café em Minas certificadas pela UTZ

Imprimir

Já chega a 59 o número de propriedades produtoras de café no Estado beneficiadas pela parceria firmada entre o programa Certifica Minas Café, desenvolvido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG), e a certificadora internacional UTZ Certified. Através do acordo, as unidades conseguiram um dos mais valorizados certificados do mundo.

A UTZ Certified é um programa internacional de certificação que determina normas para a produção sustentável e fornecimento de café, cacau, chá e óleo de palma. Já o Certifica Minas Café é um programa desenvolvido pela Emater-MG, em parceria com a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), que visa a certificar propriedades de café que atendam às boas práticas agrícolas em todos os estágios da produção, seguindo normas ambientais e trabalhistas reconhecidas internacionalmente.

Graças ao acordo firmado no ano passado, os produtores vinculados ao programa Certifica Minas Café podem ajustar as práticas de produção de suas propriedades ao código adotado pela UTZ Certified, criado à base do "EurepGAP", desenvolvido pelos varejistas europeus para garantir segurança alimentar e a utilização de práticas apropriadas à produção de vegetais. O processo de adequação é facilitado porque as práticas exigidas no Certifica Minas Café são muito semelhantes às do protocolo da empresa europeia, sediada na Holanda.

"Os produtores que obtêm o Certifica Minas Café podem fazer um requerimento à Emater-MG solicitando também a obtenção gratuita da certificação UTZ. Existe um acordo de equivalência entre os dois programas", informa o coordenador estadual de Café da Emater-MG, Julian Silva Carvalho.

Ele explica que a UTZ é uma das principais certificadoras do mundo nesse setor e possibilita a venda de cafés a preços mais elevados para o mercado internacional. A comercialização do café de uma propriedade certificada pela UTZ Certified e pelo Certifica Minas Café pode ser feita tanto por intermédio de uma cooperativa, quanto diretamente pelo produtor ao comprador interessado.

As propriedades que fazem parte do programa Certifica Minas Café recebem assistência técnica da Emater-MG. Os técnicos da empresa orientam os produtores para atendimentos às práticas estabelecidas pelo programa. Em seguida, a propriedade é auditada pelo IMA. No final do processo, a propriedade passa por uma auditoria independente, de reconhecimento internacional, e, se aprovada recebe o certificado. O Estado conta com 1.633 propriedades certificadas pelo Certifica Minas, em 227 municípios.

Exportação – Outra importante parceria feita pelo programa Certifica Minas Café foi com a Exportadora de Café Guaxupé, uma das principais empresas privadas individuais do setor no Brasil. O primeiro lote do Certifica Minas adquirido pela exportadora foi embarcado no ano passado para a Europa. A Exportadora de Café Guaxupé já tem um estoque de 10 mil sacas do Certifica Minas e, até o final da safra 2015, deve exportar um novo volume de 50 mil sacas.

A empresa compra o produto por um preço superior ao que é praticado no mercado. Os agricultores interessados encaminham as amostras de café às unidades da exportadora localizada em Guaxupé (Sudoeste de Minas) e Manhuaçu (Zona da Mata). Com as amostras, deve ser enviado o comprovante do certificado no Certifica Minas Café.

Minas Gerais é o maior produtor de café do país, responsável 50% da safra nacional. Em 2014, foram colhidas 22,6 milhões de sacas (60 kg) no Estado. Os cafezais ocupam cerca de um milhão de hectares, quase todos com o plantio do café arábica.

Fonte: Diário do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *