Certifica Minas Café ganha adesão de produtores do Sul do Estado

Imprimir

O Certifica Minas Café, programa da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), realizado por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), tem mais uma instituição aliada no trabalho de incentivo à certificação do café. Trata-se da Associação dos Cafeicultores Certificados de Alfenas e Região (Ascafea), que aposta na iniciativa do Governo de Minas para abrir portas no mercado externo.

“Nosso objetivo é vender o café para o exterior, fazer compras conjuntas, participar de cursos e trocar experiências, mas para se associar, o cafeicultor precisa ter o Certifica Minas. O certificado é o único do mundo chancelado por um governo”, argumenta César Oliveira, que integra a diretoria executiva da entidade.

Criada em janeiro deste ano, a Ascafea representa mais de 20 cafeicultores de municípios da região Sul, além de Alfenas, entre eles Boa Esperança, Areado, Varginha, Três Pontas, Campos Gerais e Serrania. De caráter heterogênio, uma vez que agrupa “desde produtores de pequeno porte, com produção de 100 sacos/ano, até produtores com colheita de 30 mil sacos de café”, como explica Oliveira, a nova entidade tem perfil social.

“Representamos associados de toda a escala de produção”, afirma César, acrescentando que a Ascafea foi a primeira associação surgida a partir do selo do Certifica Minas. De acordo o produtor, a instituição “almeja melhorar a vida de todos que trabalham na cadeia produtiva do café, que vai dos funcionários ao dono da propriedade cafeeira”.

O engenheiro agrônomo do escritório da Emater de Boa Esperança, Marcelo Tardioli, explica que a Ascafea faz jus ao lema juntos somos muito melhores. “É uma organização mista, reunindo grandes e pequenos produtores que viram, na união, o fortalecimento para a comercialização e exportação do café”, diz. Segundo ele, a associação já está fazendo contatos internacionais com vistas a atingir estes objetivos. “O vice-presidente da Associação, Artur Moscofian, tem estabelecido contatos fora do país”, conta o agrônomo.

Dia de campo

No dia 9 de julho, a Ascafea vai realizar o primeiro dia de campo para discutir temas de interesse do setor, como a participação feminina na cafeicultura. Não por acaso, o evento será realizado na Fazenda Capoeira, no município de Areado, de propriedade da presidente da associação, Marisa Helena Contreras, uma líder do gênero no setor.

O diretor da Emater-MG, Bernardino Cangussu, ressalta que 1.230 propriedades no Estado já foram certificadas pelo Certifica Minas. “A meta para 2011 é fechar o ano com o mínimo de 1.500 propriedades”, acrescenta. Sobre a norma estatutária da Ascafea de só aceitar cafeicultores contemplados pela certificação estatal, Bernardino avalia que “isso é fruto de reconhecimento positivo do produtor pela iniciativa do Estado no processo de certificação” e ainda, da afinidade da organização com a “filosofia de trabalho da Emater, que prega a sustentabilidade social, econômica, cultural e ambiental” dos empreendimentos rurais.

Uma das ações do Certifica Minas é o programa de Certificação de Propriedades Cafeeiras, que tem por objetivo atestar a conformidade as propriedades com as exigências do comércio mundial, possibilitando ao café mineiro consolidar e conquistar novos mercados. As orientações para adequações das propriedades são feitas pela Emater-MG, enquanto as auditorias preliminares para checar as adequações, de acordo com os padrões internacionais, são realizadas pelo IMA. O processo é concluído com o reconhecimento internacional de uma certificadora que faz uma auditoria final e concede a certificação às propriedades aprovadas.

Minas Gerais é considerado o maior produtor nacional de café. Com um milhão de hectares plantados, o Estado detém 50% da safra brasileira. O café é vendido para mais de 60 países do mundo, sendo o principal produto de exportação do agronegócio mineiro.

Fonte: Agência Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *