Cerca de R$25 milhões em negócios são gerados na Semana Internacional do Café

Imprimir

Agentes de todas as pontas da cadeia produtiva do café passaram por Belo Horizonte, neste mês de setembro, em busca de novos negócios. Cafeicultores, torrefadores, classificadores, exportadores, compradores, fornecedores, empresários, baristas, proprietários de cafeterias e apreciadores de todo o mundo estiveram reunidos, entre os dias 24 e 26, na 3ª edição da Semana Internacional do Café (SIC).

Foto: Bruno Lavorato / Café Editora

Segundo a organização do evento, foram iniciados cerca de R$25 milhões em negócios, realizados entre representantes tanto do Brasil como de outros países. Para Roberto Simões, presidente da FAEMG, uma das entidades organizadoras do evento, os cafés brasileiros e, em especial, os produzidos em Minas Gerais, já têm se consolidado como referência mundial. “A Semana Internacional do Café é especialmente importante como oportunidade para que o produtor apresente o resultado deste bem sucedido trabalho que vem desenvolvendo em sua propriedade e da qualidade alcançada, fazendo bons negócios. Para a FAEMG, é uma satisfação participar dessa grande realização e traduzir em ação, ano a ano, esse impulso do setor produtivo nacional para os mais exigentes mercados internacionais”, ressalta.

Foto: Bruno Lavorato / Café Editora

Nos três dias, passaram pelo local mais de 13 mil pessoas, número superior ao ano passado. Os visitantes foram atraídos, também, por palestras, cursos, rodadas de negócios e salas de cupping. No total, foram 30 ações simultâneas e 60 palestrantes, sendo 10 deles internacionais. O público conferiu mais de 65 temas, distribuídos em 280 horas de conteúdo. Caravanas de produtores marcaram presença no evento. Entre elas, estiveram presentes produtores da Região das Matas de Minas, Cerrado Mineiro, Alta Mogiana, Bahia e de cooperativas brasileiras.

Mariana Proença, diretora de conteúdo da Café Editora, idealizadora do evento, afirma que este ano as expectativas foram superadas, tanto em relação ao número de visitantes quanto em qualidade. “Vieram pessoas de todo o Brasil em busca de cafés especiais. Pessoas que vieram em busca de novidades e inovação”, conta. Ela acrescenta que esta edição foi sustentável e muito produtiva.

Priscilla Lins, gerente de Agronegócios do Sebrae, outra entidade que está à frente da realização da SIC, ressalta que esta edição consolidou a estratégia de ter Minas Gerais como centro das atenções na cadeia do café. “Os eventos técnicos focados nas áreas de ‘Mercado e Consumo’, ‘Conhecimento e Inovação’ e ‘Negócios e Empreendedorismo’ foram grandes sucesso de público e qualidade técnica. O produtor pôde ver que ele é a razão do negócio do café, que movimenta tanta gente e tem milhões de consumidores pelo mundo; ver que a cadeia do café que gera tanta renda, empregos e satisfaz tantos consumidores pelo mundo só existe pelo trabalho dele.”

A SIC reuniu mais de 200 profissionais do mercado de café, cerca de 100 expositores e 150 marcas. Para Adriano Rocha, coordenador de vendas da Treviso, concessionária de máquinas agrícolas, o evento é muito importante para ampliar o networking. “Conhecemos muitos produtores e empresários, depois faremos um novo contato com todos eles, na expectativa de fecharmos uma parceria”, afirma. A quarta edição da Semana Internacional do Café já tem data marcada em Belo Horizonte: 22 a 24 de setembro de 2016, no Expominas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *