Cepea: preços do café robusta cedem em abril

Imprimir

Após forte aumento registrado em março, os preços do robusta no físico brasileiro recuaram um pouco em abril. O Indicador CEPEA/ESALQ do tipo 6 peneira 13 acima teve média de R$ 256,77/saca de 60 kg, queda de 2,52% em relação ao mês anterior. Para o tipo 7/8 bica corrida, a média foi de R$ 247,80/sc, baixa de 2,96% na mesma comparação – ambos a retirar no Espírito Santo. O mercado esteve bastante volátil, o que dificultou o avanço dos preços, mesmo com as altas observadas no cenário externo. No mercado internacional, o contrato de robusta negociado na Bolsa de Londres (Euronext Liffe) com vencimento em julho fechou a US$ 2.168/tonelada em 30 de abril, alta de 3,53% na comparação com 31 de março.

Colheita de robusta se inicia no ES e volume de negócios aumenta
A colheita do café robusta da safra 2014/15 no Espírito Santo foi iniciada em meados de abril e, com isso, as negociações envolvendo os grãos da variedade para entrega imediata também começaram a ser realizadas. Até então, apenas negócios para entrega futura estavam sendo fechados.

Colaboradores do Cepea indicam que as lavouras de café capixaba se desenvolveram bem e que os grãos que já tinham sido colhidos apresentaram boa qualidade. Em janeiro, a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) apontou produção de robusta no estado entre 8,6 e 9,5 milhões de sacas de 60 kg.

Quanto aos preços, segundo agentes do setor consultados pelo Cepea, os primeiros lotes da temporada 2014/15 estavam sendo negociados com o mesmo valor dos cafés remanescentes. Esse cenário é diferente do observado para os primeiros contratos futuros e também em comparação com o verificado no mesmo período do ano passado, quando o café novo tinha preços mais baixos.

Em maio, além de ganhar ritmo os novos negócios, as entregas de contratos da variedade fechados antecipadamente também devem ser intensificadas. No geral, as negociações para entrega futura envolvendo grãos de café robusta do Espírito Santo iniciaram o ano em bom ritmo. Colaboradores consultados pelo Cepea indicaram, inclusive, que o volume negociado entre o primeiro trimestre até meados de abril já havia superado o observado no mesmo período do ano passado.

Nos primeiros meses do ano, o interesse de compradores em garantir bom volume do grão impulsionaram as negociações antecipadas do robusta no Espírito Santo. Além disso, cafeicultores, receosos de que, após a colheita, os preços recuassem, também intensificaram as vendas naquele período – vendedores temiam que a maior produção e o bom desenvolvimento da safra no estado capixaba pressionassem as cotações.

Por outro lado, um fator que limitou um pouco o ritmo dos negócios antecipados foi a forte volatilidade dos preços na ocasião. Segundo agentes, a maior liquidez foi observada para o robusta tipo 7/8, mas os preços de fechamento variaram bastante conforme o momento em que foram negociados.

Em dezembro, quando os primeiros negócios antecipados começaram a ser fechados, havia o receio de que os preços pudessem recuar mais. Já em março, as cotações avançaram com força no físico nacional, elevando os preços das negociações para entrega futura. De maio em diante, os negócios do robusta capixaba devem se concentrar na liquidação de lotes remanescentes da safra anterior e nas vendas para entrega imediata da temporada 2014/15.

Em Rondônia, há disponibilidade apenas de grãos novos, e o ritmo de negócios também tende a se intensificar no decorrer do mês. 

Fonte: Cepea/Esalq USP via CNC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *