Cenário externo ajuda e café em NY volta a ter ganhos consistentes

Imprimir

Os contratos futuros de café arábica negociados na ICE Futures US encerraram esta quarta-feira com altas consistentes, em uma sessão caracterizada por compras especulativas e de fundos.

O mercado cafeeiro na bolsa norte-americana mantém o perfil observado ao longo dos últimos dias, ou seja, os preços se mantém presos dentro de um range relativamente amplo, entre 230,00 e 244,50 centavos de dólar por libra peso e, sem conseguir romper suportes ou resistências, o que se verificam são variações consideráveis.

Se na terça-feira todos os ganhos anteriores se perderam, nesta quarta-feira foi possível um movimento de recuperação, com a posição de maior liquidez tendo uma alta final de quase 3%. Operadores destacaram que as ordens de compra emitidas ao longo do dia por especuladores e fundos estiveram relacionadas fortemente com o cenário externo, que teve um dia marcado por altas para as commodities, para as bolsas de valores e, também, por uma fraqueza do dólar em relação a outras moedas internacionais.

No encerramento do dia, o março em Nova Iorque teve ganho de 625 pontos com 237,50 centavos, sendo a máxima em 240,35 e a mínima em 231,80 centavos por libra, com o maio tendo oscilação positiva de 620 pontos, com a libra a 239,30 centavos, sendo a máxima em 241,95 e a mínima em 234,00 centavos por libra.

Na Euronext/Liffe, em Londres, a posição março registrou alta de 2 dólares, com 2.096 dólares por tonelada, com o maio tendo valorização de 2 dólares, com 2.124 dólares por tonelada. Segundo analistas internacionais, o dia foi caracterizado pela ação especulativa, principalmente no lado comprador.

No nível de 240,00 centavos, contudo, foram observadas algumas realizações e vendas de especuladores, o que permitiu uma desaceleração, no entanto, os ganhos finais foram consideráveis. No after-hours, o mercado teve uma ligeira alta. "Tivemos uma sessão bastante interessante, com uma volatilidade considerável e com o mercado se mostrando consistente.

O café está, efetivamente, em um viés altista e isso vem sendo demonstrado nas últimas sessões: quando não há pressão externa, a tendência é de que os ganhos sejam observados. A necessidade atual é o rompimento da resistência de 244,50 centavos, o que permitiria que novos ganhos pudessem ser buscados", disse um trader.

O consumo per capita de café torrado no Brasil atingiu um patamar recorde e quebrou o nível observado nos anos 60. Em 2010, o consumo foi de 4,81 quilos por habitante, volume que supera os 4,72 quilos aferidos em 1965, época em que o país apresentava uma curva de alta na demanda do produto.

A quantidade registrada no ano passado equivale a quase 81 litros de café por pessoa por ano, e foi 3,5% maior ao registrado em 2009, que ficou em 4,65 quilos. Com isso, o consumo brasileiro se aproxima ao da Alemanha, que é de 5,86 quilos por habitante ao ano, e já supera os índices da Itália e França, grandes consumidores de café. Os campeões de consumo, entretanto, ainda são os países nórdicos, como Finlândia, Noruega, Dinamarca, com um volume próximo dos 13 quilos por pessoa ao ano.

O Serviço de Meteorologia do México prognosticou que novas geadas poderão ser observadas nesta quinta e sexta-feira no país, porém, com intensidade fraca em regiões cafeeiras do país. As ocorrências deverão ser mais consistentes em áreas do extremo norte como Yucatán, que conta com a presença de um sistema de alta pressão e uma massa de ar frio, que leva um sistema com temperaturas mais baixas para a parte leste do país.

Nos últimos dias o México reportou a ocorrência de algumas geadas em zonas cafeeiras, mas sem registro de perdas mais consideráveis. As exportações de café do Brasil em janeiro, até o dia 24, somaram 1.516.131 sacas, contra 3.025.743 sacas registradas no mesmo período de dezembro, informou o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil).

Os estoques certificados de café na bolsa de Nova Iorque tiveram queda de 3.675 sacas indo para 1.645.962 sacas. O volume negociado no dia na ICE Futures US foi estimado em 25.179 lotes, com as opções tendo 6.251 calls e 3.789 puts.

Tecnicamente, o março na ICE Futures US tem uma resistência em 240,35, 241,00, 241,50, 241,80, 242,00, 242,50, 243,00, 243,50, 244,00, 244,50 e 244,90-245,00 centavos de dólar por libra peso, com o suporte em 231,80, 231,50, 231,00, 230,50, 230,10-230,00, 229,50, 229,00, 228,50, 228,00 e 227,50 centavos por libra.

Fonte: Agnocafe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *