Cecafé demonstra sustentabilidade brasileira em evento da GCP na Suíça

Imprimir

O diretor geral e a gerente de Sustentabilidade do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), Marcos Matos e Lilian Vendrametto, participaram ativamente do Congresso de Países e Assembleia de Membros da Plataforma Global do Café (GCP, em inglês), ontem e hoje (7 e 8/10), em Basel, na Suíça.

Durante o evento, os representantes do Cecafé demonstraram as inúmeras ações de sustentabilidade realizadas pelo setor exportador no Brasil, com a participação de diversos parceiros do agronegócio nacional.

Na segunda-feira, 7, o diretor geral apresentou o panorama da sustentabilidade da cafeicultura brasileira, destacando o programa Produtor Informado, a estruturação de regiões sustentáveis, as ferramentas disponíveis para ampliar as ações no campo e as novas iniciativas em curso dos membros do Conselho.

Sobre o Produtor Informado, Matos destacou que o foco são os agricultores familiares, que recebem treinamentos presenciais que englobam temas como a inclusão digital, objetivando melhor rentabilidade na atividade, e a sustentabilidade com base nos itens fundamentais do currículo brasileiro.

Até hoje, o programa do Cecafé capacitou aproximadamente seis mil produtores e, segundo o diretor, o Conselho pretende ampliar parceiras e ações no cinturão cafeeiro para ampliar esse número.

Matos também demonstrou o histórico e a conduta para estruturar a inciativa dos membros chamada “Uso Correto e Seguro de Agroquímicos” e a proposta de realização da nova ação relacionada a uma agenda positiva conectada às melhores práticas sociais e trabalhistas no café brasileiro, considerando-se a rígida legislação nacional nesta questão.

Já nesta terça-feira, 8, a gestora de Sustentabilidade do Cecafé elucidou os detalhes da inciativa “Uso Correto e Seguro de Agroquímicos”, evidenciando como a entidade, os exportadores, a plataforma nacional do café e demais parceiros planejam e atuam em prol da sustentabilidade brasileira. Em relação aos defensivos agrícolas, Lilian destacou a participação, pela primeira vez, das principais empresas do setor em projeto pré-competitivo.

Por fim, a gestora também realçou os diversos padrões internacionais referentes aos limites máximos de resíduos e a necessidade de ação com o intuito de alcançar as melhores práticas agronômicas relacionadas à aplicação de agroquímicos.

Fonte: Cecafé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *