Cardiologistas confirmam, em Fórum da Abag, que café faz bem à saúde e até reduz a mortalidade

Imprimir

Recente estudo publicado pela revista New England Journal of Medicine, mostra que há uma diminuição de 10% na mortalidade masculina e de 15% na feminina nos habituais apreciadores da bebida. A informação foi dada pelo cardiologista Miguel Moretti, coordenador de pesquisa médica do Instituto do Coração (Incor), durante palestra no XXVI Fórum ABAG Desenvolvimento da Cafeicultura Nacional com o tema Café e Saúde, promovido recentemente em Guaxupé (MG), pela Abag – Associação Brasileira do Agronegócio em parceria com a Cooperativa Regional dos Cafeicultores de Guaxupé – Cooxupé.

Os dados foram referendados por outro palestrante do mesmo evento, o cardiologista Drauzio Varella. "Esse estudo é um dos mais abrangentes já realizados no mundo, envolveu cerca de 200 mil pessoas, durou 14 anos, foi financiado pelo Instituto Nacional de Saúde, dos Estados Unidos, e editado pela revista New England Journal of Medicine, a mais criteriosa das publicações médicas do mundo", observou Varella em sua palestra para cerca de 1.500 cooperados da Cooxupé. Na avaliação dos médicos, é considerado consumo moderado de café uma quantia que varia de 3 a 7 xícaras por dia.

O Fórum Café e Saúde foi promovido conjuntamente com a inauguração de um complexo logístico da Cooxupé, que se destina a armazenagem e seleção de café pelo sistema de granelização e não mais nas tradicionais sacas de 60 kg. O projeto, denominado Complexo Industrial Japy, exigiu investimento de R$ 70 milhões e terá capacidade para receber o equivalente a 3 mil sacas de 60 kg por hora. Com a inauguração do complexo, a estrutura da Cooxupé passa a ter capacidade de preparo de 27.800 sacas/dia.

Tanto a solenidade de inauguração do Complexo Japy, quanto o Fórum Café e Saúde contaram com o apoio da ABIC – Associação Brasileira da Indústria do Café, Anda – Associação Nacional para Difusão de Adubos, Andef – Associação Nacional de Defesa Vegetal, Sociedade Rural Brasileira, CSMIA – Câmara Setorial de Máquinas e Equipamentos da Abimaq, além das empresas Basf, Jacto e Syngenta.

Fonte: Portal do Agronegócio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *