Capacitação busca auxiliar na melhoria da qualidade do café arábica

Imprimir

Para auxiliar os produtores rurais na busca pelo aumento da produtividade nas lavouras e na melhoria da qualidade do café arábica produzido em Castelo, no Espírito Santo, o Incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Agricultura, realiza nesta sexta-feira (18) e neste sábado (19), das 08 às 17 horas, o Curso de Café Arábica, na comunidade do Caxixe Quente, onde serão capacitados 18 produtores.

O evento, que acontece no galpão comunitário da Igreja Católica e está em seu segundo módulo, é uma realização do Incaper em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), a Secretaria Municipal de Agricultura de Castelo (Semag) e a Associação de Produtores. O curso faz parte do projeto do Governo do Estado “Renovar Arábica” que tem o objetivo de revigorar as lavouras do Espírito Santo, visando oferecer maior sustentabilidade da atividade.

De acordo com o extensionista do Incaper, Edimar Celin, a capacitação aborda temas importantes, como os diferentes tipos de podas, o controle de pragas e doenças, as técnicas de colheita e pós-colheita e armazenamento. “Para que o produtor tenha uma lavoura de boa produtividade e produza um café de alta qualidade é preciso trabalhar com a somatória dessas técnicas na propriedade”, afirma.

O município de Castelo possui cerca de 7.200 famílias rurais, sendo que 90% desse número produz café em suas propriedades, somando aproximadamente 12 mil hectares. A produção de café é composta de café arábica e conillon devido a grande variação de altitude na região. As lavouras de café arábica de Castelo produzem cerca de 90 mil sacas por ano, enquanto nas propriedades de conillon a produção fica em torno de 130 mil sacas por ano.

O curso ainda será estendido aos produtores de café do distrito de Monte Alverne, na próxima segunda (21) e terça-feira (22). O projeto ‘Renovar Café Arábica’, inserido no Programa de Cafeicultura Sustentável que está sendo elaborado para o Espírito Santo (baseado no Novo Pedeag – 2007-2025) é uma ação importante e estratégica para aumentar a produtividade, melhorar a qualidade final do produto e, a rentabilidade do cafeicultor de arábica no Estado, com sustentabilidade.

O objetivo é revigorar as lavouras de cafés arábicas do Estado, com foco no aumento da produtividade, melhoria da qualidade do produto e de processos, visando a oferecer maior sustentabilidade da atividade. O programa abrange 49 municípios, que ocupam uma área de aproximadamente 190 mil hectares, abrangendo mais de 20 mil pequenas propriedades de base familiar.

Metas: Renovar 100% do parque cafeeiro de arábica com variedades recomendadas e com a utilização de boas práticas agrícolas; Ampliar a cobertura florestal em áreas vulneráveis; Elevar a produtividade média da cafeicultura de arábica, de 14,6 sacas beneficiadas/ha para 22,6 sacas; Aumentar a produção que se encontra nos últimos cinco anos, entre 1,8 a 2,5 milhões de sacas, para 4 milhões de sacas, sem ampliar a área plantada; Ampliar a produção de café superior de 300 mil sacas, para 1 milhão de sacas por ano; Implantar salas de provas de café arábica em todos os municípios; Ampliar a exportação de café com valor agregado.

Fonte: AgnoCafe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *