Cafeína promove formação de espermatozoides

Imprimir

Um estudo levado a cabo pela Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, revela que três ou quatro cafés promovem o funcionamento das células responsáveis pelo desenvolvimento de espermatozoides.

A cafeína, desde que ingerida em doses baixas ou moderadas, “parece não ter efeitos negativos sobre as células de Sertoli”. Pelo contrário, de acordo com o investigador responsável pelo estudo, Pedro Oliveira, três ou quatro cafés ou cinco ou seis chávenas de chá por dia parecem “ter efeitos promotores sobre o funcionamento metabólico das células”.

“Os resultados indicam que a cafeína altera o metabolismo das células de Sertoli, que apoiam o desenvolvimento dos espermatozoides”, explica igualmente Pedro Oliveira, citado em nota de imprensa enviada pela UBI. 

Muito embora seja necessário fazer “mais estudos para esclarecer a dose de cafeína que pode ser benéfica ou prejudicial para a função das células de Sertoli, os resultados sugerem que o consumo moderado parece seguro para a saúde reprodutiva masculina e promove condições para o desenvolvimento e sobrevivência dos espermatozoides”, salienta.

Esta investigação foi realizada in vitro com células de Sertoli humanas, provenientes de biopsias testiculares, às quais foram aplicadas “três doses diferentes de cafeína para imitar as concentrações observadas em consumidores pontuais, moderados e compulsivos de bebidas ricas em cafeína, tais como café, chá verde e chá preto”.

O trabalho, levado a cabo no Centro de Investigação em Ciências da Saúde da UBI, foi publicado recentemente na revista científica Toxicology.

Fonte: Gazeta do Rossio via Noticias Ao Minuto.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *