Cafeicultores buscam diminuir perdas no Paraná

Imprimir

A mecanização na produção e colheita do café pode ser a alternativa para o cafeicultor paranaense reparar os prejuízos com as geadas ocorridas no final de julho. O assunto foi debatido durante reunião da Câmara Setorial do Café, ocorrida em Londrina.

Um estudo elaborado em conjunto pelas cooperativas, Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e Instituto Emater será encaminhado ao secretário da Agricultura, Norberto Ortigara, que participou do encontro. "O trabalho prevê um plano de adaptação à tecnologia do café voltado à realidade atual, que certamente passará pela mecanização", disse o gerente da Câmara Setorial do Café, Walter Ferreira de Lima. Ele enfatizou a necessidade de levar solução para os 12 mil cafeicultores do estado, dos quais 90% são agricultores familiares.

Ortigara aguarda a conclusão desse estudo para encaminhar pedidos de auxilio ao governo federal, como linhas de crédito e apoio para a erradicação das lavouras velhas e incremento da mecanização, se essa necessidade for apontada pelo estudo. "Vamos intensificar as negociações com o governo federal. Se o estudo apontar que o produtor terá ganho com a mecanização das lavouras, é nisso que iremos investir", disse Ortigara.

O estudo sobre a mecanização leva em conta o preço baixo do café no mercado e a necessidade do agricultor reduzir custos com mão de obra. O agricultor só se animará a adotar novas tecnologias se enxergar que esse período difícil pode ser superado e será compensado à frente.

Fonte: Agência de Notícias do Governo do Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *