CAFEEIRO TAMBÉM PRODUZ FRUTOS EM RAMOS VELHOS, ESPECIALMENTE NA CULTIVAR ARARA

Imprimir

É muito conhecido o ditado que diz- “Um ano o cafeeiro se veste e no outro veste seu dono”. Isto é devido a que os ramos plagiotrópicos ou produtivos do cafeeiro, crescem num ano, para, no ano seguinte, emitirem botões/flores/frutos na parte terminal desses ramos.

No ano de alta produção, por conta do maior uso de reservas da planta para a frutificação, o crescimento dos ramos é menor e, assim, a carga de frutos da safra do próximo ano também vai ser inferior.

A formação das gemas florais, como já foi dito anteriormente, ocorre, normalmente, apenas na parte nova do ramo, do crescimento do ano anterior. Isto é a regra. No entanto, temos visto que frutos de café podem estar presentes em partes velhas dos ramos, lá mais próximo da inserção deles no tronco.

Este fenômeno de frutificação na parte velha dos ramos parece estar correlacionado com o engrossamento desses ramos e a prováveis estímulos hormonais. Diz-se isto por que a frutificação aparece em plantas decotadas e mais em certas variedades.

No decote acontece a quebra temporária da dominância apical da planta, estimulando o crescimento compensatório da ramagem lateral. Nas variedades, em especial tendo mais presente a cultivar Arara, nota-se que, ao envelhecerem e engrossarem, os ramos voltam a emitir gemas florais e frutos em suas porções mais antigas.

Existem 2 hipóteses para o fato que acabamos de relatar. A primeira, talvez a mais provável, se baseia na ativação de gemas que ficaram dormentes na época em que o ramo ainda estava jovem, ou seja, os frutos são oriundos de gemas remanescentes. A outra hipótese é a da efetiva formação de novas gemas, mesmo em partes velhas dos ramos.

Esta característica de voltar a produzir em ramos velhos pode explicar, em parte, o destaque produtivo que a cultivar Arara tem apresentado, em diferentes experimentos.

Procafé, por : J.B. Matiello, S.R. de Almeida e Iran B. Ferreira- Engs Agrs Fundação Procafé e C.H. S.Carvalho, Pesquisador Embrapa-café.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *