Café tem novo recuo na ICE e preços voltam para nível de 120 cents

Imprimir

Os contratos futuros de café arábica negociados na ICE Futures US têm um dia de retração, sendo que, mais uma vez, as cotações flutuam próximas do referencial psicológico de 120,00 centavos. Há pouco, a posição setembro tinha perda de 215 pontos, com 120,50 centavos de dólar por libra peso, depois de tocar a mínima de 119,55 centavos, como dezembro tendo desvalorização de 210 pontos. 

De acordo com analistas internacionais, o dia é caracterizado por vendas especulativas, com o mercado não tendo o mesmo "fôlego" registrado ao longo do pregão passado. O clima no Brasil continua na pauta dos players, mas a verificação de que as previsões se confirmaram, ou seja, de que não ocorreram geadas nas zonas produtoras, apenas estimularam os participantes que tiveram uma ação protetiva, ao longo dos últimos dias, a realizar algumas liquidações.

O dia também é caracterizado pelas rolagens de posições na bolsa norte-americana, principalmente entre o setembro e dezembro, já que o primeiro contrato tem sua notificação iniciada no próximo dia 23. Hoje, o dezembro já conta com mais liquidez na ICE que o primeiro contrato. "As perdas do dia também estão ligadas ao cenário externo. As bolsas de valores nos Estados Unidos têm uma queda mais efetiva e influenciam a maior parte das commodities. Além disso, o dólar no Brasil continua a ganhar corpo em relação ao real local. Mesmo com uma tentativa de intervenção do Banco Central do país, a moeda norte-americana se mantém em alta e isso estimula alguns players a vender, aproveitando o câmbio", disse um trader.

Vários sindicatos agrícolas colombianos anunciaram que no dia 19 de agosto vão iniciar um bloqueio de estradas do país, os caminhoneiros também irão protestar. "O protesto está nas ruas e os produtores vão fechar das principais estradas do país", disse Heberto Diaz, porta-voz do bureau de interlocução agrícola, que reúne grupos de diferentes sindicatos do setor.

Diaz explicou que os camponeses, entre os quais os cafeicultores, apresentarão uma lista de exigências do governo do país, incluindo acesso a terras e ações contra a crise de preços do café no mercado externo. A receita cambial com exportação de café verde apresentou queda de 15,24% nos primeiros sete meses deste ano, em comparação com o mesmo período de 2012.

Fonte: AgnoCafé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *