Café tem dia de ligeira correção na ICE e fecha com ganhos

Imprimir

Os contratos futuros de café negociados na ICE Futures US encerraram esta segunda-feira com altas. Após as intensas perdas de sexta-feira, algumas recompras corretivas foram verificadas, o que permitiu que as cotações tivessem valorização durante praticamente todo o dia. Esses ganhos, no entanto, não foram dos mais incisivos e a posição dezembro não conseguiu testar o patamar de 275,00 centavos, por exemplo. Alguns especuladores e indústrias de torrefação atuaram no lado comprador, aproveitando a retração registrada durante a semana passada.

Os mercados externos, que foram decisivos para as liquidações recentes, nesta segunda-feira não tiveram maior influência no segmento de commodities. As bolsas de valores dos Estados Unidos chegaram a registrar algumas perdas mais consideráveis na parte da manhã, com o temor de que a Grécia anunciasse um calote em sua dívida. Tal fato não foi efetivamente comprovado, apesar de muitos analistas já o considerarem como crível, mas foi suficiente para, por exemplo, pressionar consistentemente as bolsas na Europa.

Com o fechamento mais tarde, Nova Iorque passou a levar em consideração outros fatores e conseguiu fechar o dia com ganhos de mais de meio por cento. O índice CRB se manteve estável, assim como o dólar. Fundamentalmente, o mercado continua sem maiores novidades. Alguns players destacaram a aproximação da temporada de chuvas na Colômbia e a possibilidade de existir a retomada da presença da ferrugem em áreas produtoras.

No Brasil, várias zonas cafeeiras continuam a registrar temperaturas altas e clima seco, sendo que agrônomos avaliam que seria positiva a ocorrência de chuvas para os processos de abudação, assim como para o pegamento das floradas. No encerramento do dia, o dezembro em Nova Iorque teve alta de 95 pontos com 270,95 centavos, sendo a máxima em 274,75 e a mínima em 268,15 centavos por libra, com o março registrando oscilação positiva de 85 pontos, com a libra a 273,90 centavos, sendo a máxima em 277,60 e a mínima em 271,20 centavos por libra.

Na Euronext/Liffe, em Londres, a posição novembro registrou alta de 19 dólares, com 2.190 dólares por tonelada, com o janeiro tendo valorização de 19 dólares, com 2.214 dólares por tonelada. De acordo com analistas internacionais, o mercado chegou a flertar com algumas baixas ao longo do início da sessão. No entanto, os bearish (baixistas) se mostraram reticentes, não ampliando consideravelmente o seu potencial vendedor demonstrado na sexta-feira. Isso deu espaço para algumas recompras especulativas e também para a aquisição de indústrias, mas com os ganhos sendo limitados nas máximas.

“É uma sessão que funciona um pouco como uma ressaca. As perdas da sessão passada foram muito intensas e alguns operadores se sentiram estimulados a corrigir algumas rotas. Não buscamos efetivamente nem suportes nem resistências mais consideráveis ao longo do dia e, assim, flutuamos em um range de pouco mais de 600 pontos”, disse um trader. “O fechamento técnico na semana foi negativo. Acho que vamos ver o “C” testando os 255/260 centavos de dólar por libra antes de encontrar suporte — podendo cair um pouco mais, caso alguém tenha comprado as histórias de seca e caso as chuvas se mostrem normais.

Portanto, aos que precisam comprar sugiro colocar escalas abaixo de 260 centavos, e aos produtores que precisam fazer caixa no curtíssimo prazo é bom aproveitar o atual momento para vender um pouco”, indicou Rodrigo Corrêa da Costa, analista da Archer Consulting. Os estoques de café na Europa cresceram 138.797 sacas, indo para 13,6 milhões de sacas, em julho, informou a Federação de Café Européia. O maior incremento se deu em Bremen, na Alemanha, com alta de 142.067 sacas, para 1,30 milhão de sacas.

Três portos registraram baixas no volume estocado, em Antuérpia, na Bélgica, Genova, na Itália e Trieste, também em terras italianas. As exportações de café do Brasil em setembro, até o dia 9, somaram 318.490 sacas, contra 537.847 sacas registradas no mesmo período de agosto, informou o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil). Os estoques certificados de café na bolsa de Nova Iorque tiveram alta de 2.279 sacas, indo para 1.445.305 sacas.

O volume negociado no dia na ICE Futures US foi estimado em 27.258 lotes, com as opções tendo 5.062 calls e 9.161 puts. Tecnicamente, o setembro na ICE Futures US tem uma resistência em 274,75, 274,90-275,00, 275,50, 276,00, 276,50, 277,00, 277,50, 278,00, 278,50 e 279,00 centavos de dólar por libra peso, com o suporte em 268,15, 268,00, 267,50, 267,00, 266,50, 266,00, 265,50, 265,10-265,00, 264,50, 264,00, 263,50 e 263,00 centavos por libra.

Fonte: AgnoCafe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *