Café sustentável está a um clique do smartphone; entenda por quê

Imprimir
Ferramenta de gestão inédita nos cafezais, um aplicativo para aparelhos celulares e tablets está sendo usado pela Exportadora Guaxupé, no Sul de Minas Gerais, – região que responde por significativa parcela da produção do grão no estado e no país –, para monitorar práticas agrícolas sustentáveis na atividade. Batizado de app CSC, o recurso digital permite acompanhamento preciso de pelo menos 18 iniciativas direcionados à melhora contínua das propriedades cafeeiras.

As práticas integram um conjunto de 122 itens fundamentais para a sustentabilidade do setor reunidas no chamado Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC). O aplicativo foi desenvolvido pela Plataforma Global do Café (GCP na sigla em inglês), associação internacional que reúne 150 membros de todos os segmentos da cadeia produtiva do café. A entidade atua por meio de programas aplicados em nove países produtores, além do Brasil, Vietnã, Indonésia, Uganda, Colômbia, Quênia, Honduras, Tanzânia e Peru, os quais respondem por 70% da produção mundial.
Continua depois da publicidade

terreiro suspensoEm Minas, aplicativo tem ajudado na melhora da produtividade das lavouras, planejamento e investimentos (foto: Marcelo André/Grupo Monte Santo Tavares/Divulgação – 11/6/16)

O gerente da Plataforma Brasil de Sustentabilidade do Café (PBSC), Pedro Ronca, ressalta que o app é uma das principais ferramentas desenvolvidas pela PBSC desde o início do ano passado e lançado em outubro de 2017. “Ele visa monitorar e medir a sustentabilidade no campo, ou seja, a adoção de práticas agrícolas sustentáveis que fazem parte do Currículo de Sustentabilidade do Café, documento produzido pela PBSC com a colaboração de toda a cadeia produtiva.”

João Paulo Custódio de Brito, supervisor de sustentabilidade da Exportadora Guaxupé, empresa membro da Plataforma Global do Café, conta que o app tem contribuído para identificar os principais gargalos em cada região onde a empresa atua, além de proporcionar a oportunidade de entender as maiores necessidades dos fornecedores com relação a sustentabilidade de suas propriedades. “Mais do que isso, é uma ótima ferramenta para determinarmos os principais gargalos, inclusive, na análise de risco e no planejamento de ações por propriedade, região, estado e país, sempre priorizando regiões produtoras de café”.

O aplicativo pode ser baixado na Google Play Store e na App Store, sem custos, estando acessível para celulares smartfones e tabletes, nos sistemas Android e iOS. “Após preenchido um cadastro com dados do usuário e socioeconômicos, os questionários podem ser respondidos. Eles estão divididos em temas como produção e propriedade, relações trabalhistas, colheita, venda e entrega de café, participação em organizações e certificação e verificação.”

“Quanto à racionalização do serviço, o aplicativo nos apresenta diversos relatórios, tais como o número de itens do Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC) cumpridos e não cumpridos, percentagem de cumprimento do CSC, e indicadores de sustentabilidade”
João Paulo Custódio de Brito, supervisor de Sustentabilidade da Exportadora Guaxupé

Pedro Ronca ressalta que uma das vantagens do app é permitir o controle e gestão de boas práticas agrícolas de modo facilitado pelos usuários, como produtores e entidades do universo cafeeiro. “Para a Plataforma, ele proverá dados compilados de diferentes regiões, permitindo identificar áreas nas quais as práticas são satisfatórias, áreas em que é preciso executar melhorias, comparativos entre regiões, entre outros procedimentos de diagnóstico e monitoramento ao longo do tempo.” Entidades do setor cafeeiro que não façam parte da associação internacional também podem utilizar o app.

Avaliação Cerca de 20 usuários já estão cadastrados e fazendo uso da ferramenta digital, entre eles cooperativas, traders e serviços de extensão, que já cadastraram mais de 17 mil cafeicultores no CSC App, representando aproximadamente 25 mil hectares de área de cultivo de café. “Alguns usuários ainda estão em fase de testes, estruturando, organizando e treinando as equipes de campo. Outros já estão analisando os dados coletados e conhecendo melhor as propriedades, tornando possível direcionar recursos com maior precisão e até mesmo gerando planos de ação com o objetivo de diminuir impactos da produção, melhorar rentabilidade, qualidade de vida, estabilidade produtiva e sustentabilidade, em uma visão de longo prazo”, esclarece Pedro Ronca.

Do controle dos custos à eficiência

O aplicativo CSC auxilia o produtor de café a se tornar um bom gerente da propriedade, entender quais são suas principais deficiências e virtudes, explica João Paulo Custódio de Brito, supervisor de sustentabilidade da Exportadora Guaxupé. Fundada em 1970, a empresa exporta, em média, 800 mil sacas de café por ano, com destino a 27 países. Com a implementação do Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC), por meio do aplicativo, o produtor encontra apoio para melhorar a gestão administrativa, produtividade das lavouras, controle de custo, planejamento, investimento e organização”, afirma.

Para a empresa, a ferramenta digital tem reunido base de dados que aponta os principais problemas a serem trabalhados e abre possibilidade de planejar ações específicas e aferir também a melhoria contínua da produção. “Como benefício o aplicativo nos auxilia na identificação de pontos de melhoria em tudo o que se faz na propriedade, nos dá ferramentas para priorizar as ações que são mais urgentes e planejar a melhoria contínua a médio e longo prazo”, diz João Paulo.

A empresa de Guaxupé participa do projeto de criação do app desde as primeiras discussões relacionadas à implementação do Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC), no qual, com outros membros brasileiros da plataforma, foram definidos 18 itens fundamentais do CSC mais relevantes para a produção de café. “Quanto à racionalização do serviço, o aplicativo nos apresenta diversos relatórios, tais como, número de itens do Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC) cumpridos e não cumpridos, percentagem de cumprimento do CSC, e indicadores de sustentabilidade”, destaca João Paulo. De acordo com o supervisor da Exportadora Guaxupé, não existe nenhuma restrição quanto ao uso do aplicativo, que também deverá passar por melhoria contínua.

Fonte: Estado de Minas (Por Augusto Guimarães Pio)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *