Café: seca prejudica Uganda e produção de robusta pode cair 10% no país

Imprimir

A oferta de café robusta da Uganda, maior produtor africano da variedade, vai ser aproximadamente 10% menor neste ciclo em relação ao anterior, devido a uma seca nas principais regiões produtoras no início do ano.

O chefe do Corpo Nacional de Agricultores de Uganda (Nucafe, na sigla em inglês), David Muwonge, disse que as condições secas afetaram as árvores de robustas no sudoeste do país, reduzindo a produtividade das lavouras.

A região corresponde por cerca de 45% da produção ugandense. A oferta reduzida da variedade deve diminuir os embarques em um mercado já apertado – o que tem sido impulsionado com os receios de oferta reduzida em países líderes, como Vietnã e Indonésia, também afetados pela estiagem.

Segundo Muwonge, a época de colheita está atingindo o pico, mas a rentabilidade está desapontando. A seca afetou a safra durante a época de floração, o que foi muito prejudicial. A variedade robusta é cultivada principalmente no sudoeste e na região central da Uganda, enquanto o arábica é cultivado no leste. O robusta é responsável por 70% da oferta total do país africano. As informações são de agências internacionais.

Agência Safras
Cândida Schaedler

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *