Café rompe suporte na ICE e fecha com perdas consideráveis

Imprimir

Os contratos futuros de café arábica negociados na ICE Futures US encerraram esta sexta-feira com fortes baixas, em mais uma sessão caracterizada por vendas especulativas e também com os grandes fundos se concentrando, basicamente, no lado vendedor.

Com isso, o maio encerrou a semana com perda de 3,24% e abaixo do intervalo psicológico de 260,00 centavos por libra, quadro que, efetivamente, é lido como de pressão pelos operadores. Desde que tentou, sem sucesso, romper os 300,00 centavos, o café vem sofrendo com um aumento das ações vendedoras. Tais ações ganharam maior força com o cenário externo, caracterizado por notícias negativas para os mercados, como as manifestações no Oriente Médio e no norte da África e o terremoto seguido de tsnumi no Japão. Tais episódios estimulou participantes mais conservadores a buscar investimentos mais seguros e não correr o risco em segmentos como o de commodities agrícolas. Com isso, uma redução gradativa dos preços pode ser observada, sendo que algumas médias móveis, principalmente de curto prazo, já foram vencidas, algo que, tecnicamente, também tem uma influência negativa nos monitores de preços.

No médio e longo prazo, avaliam os brokers, o mercado ainda tende a alta, por conta do quadro de oferta curta, principalmente no que se refere a cafés de maior qualidade, como os suaves colombianos. Além disso, os estoques internacionais do produto estão baixos, contra uma demanda crescente.

No encerramento do dia, o maio em Nova Iorque teve queda de 425 pontos com 259,90 centavos, sendo a máxima em 266,25 e a mínima em 258,80 centavos por libra, com o julho tendo oscilação negativa de 410 pontos, com a libra a 262,65 centavos, sendo a máxima em 268,80 e a mínima em 261,45 centavos por libra. Na Euronext/Liffe, em Londres, a posição maio registrou queda de 107 dólares, com 2.421 dólares por tonelada, com o julho tendo desvalorização de 76 dólares, com 2.342 dólares por tonelada.

De acordo com analistas internacionais, o mercado teve uma considerável facilidade para romper seus suportes iniciais no dia. Mesmo sem uma pressão mais considerável externa — o índice CRB e as bolsas de valores norte-americanas subiram, com o dólar tendo demonstrando uma ligeira retração —, o que se viu foi uma nova onda de vendas, que teve certo prosseguimento após os 260,00 centavos ter sido rompido. "Os dois suportes mais fortes neste momento estão em 257,80 e 254,15 centavos por libra. Caso esses níveis sejam ultrapassados, é possível que se tenha uma tendência para buscar o intervalo de 250,00 centavos. Por outro lado, as resistências mais primárias não vão sendo testadas, o que pode ser um problema para o mercado, ao menos no curto prazo", disse um trader.

As exportações mundiais de café nos cinco primeiros meses de 2010/2011 tiveram alta de 14%, indo para 42,3 milhões de sacas, contra 37,1 milhões de sacas do ano anterior, informou a Organização Internacional do Café. Nos 12 meses encerrados em fevereiro, as exportações de arábica totalizaram 66,9 milhões de sacas, contra 59,9 milhões de sacas do mesmo período anterior, impulsionadas por um crescimento de 3,5 milhões de sacas em embarques do Brasil. Ao mesmo tempo, a remessa de robustas caiu para 32,2 milhões de sacas, contra 34,7 milhões do ano anterior.

As exportações de café do Brasil em março, até o dia 31 somaram 2.327.756 sacas, contra 1.973.284 sacas registradas no mesmo período de fevereiro, informou o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil). O número, contudo, ainda não é consolidado.

Os estoques certificados de café na bolsa de Nova Iorque tiveram queda de 319 sacas indo para 1.571.466 sacas. O volume negociado no dia na ICE Futures US foi estimado em 24.341 lotes, com as opções tendo 3.252 calls e 3.029 puts. Tecnicamente, o maio na ICE Futures US tem uma resistência em 266,25, 266,50, 267,00, 267,40-267,50, 268,00, 268,50, 269,00, 269,50, 269,70 e 269,90-270,00 centavos de dólar por libra peso, com o suporte em 258,80, 258,50, 258,00, 257,80, 257,50, 257,00, 256,50, 256,00, 255,50 e 255,10-255,00 centavos por libra.

Fonte: AgnoCafe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *