Café robusta na ICE sobe para máxima de 4 anos e meio por preocupações com clima seco no Brasil

Imprimir
Os contratos futuros do café robusta na ICE subiram para uma máxima de 4 anos e meio nesta segunda-feira, sustentados por preocupações sobre o clima seco no Brasil.

O café robusta para março encerrou em alta de 31 dólares, ou 1,4 por cento, a 2.233 dólares por tonelada após tocar 2.238 dólares, a máxima para o contrato desde julho de 2012.

O analista da Rabobank Carlos Mera disse que o mercado foi sustentado por preocupações de que o clima seco possa reduzir a safra de robusta do Brasil. “Está muito seco no Espírito Santo”, disse ele, se referindo ao Estado mais importante para a produção de robusta no país.

Mera também disse que há também possibilidade de que os altos preços domésticos do café robusta no Brasil levem o governo a permitir importações.

Os contratos do açúcar branco fecharam quase estáveis, com o contrato para março encerrando em queda de 60 centavos, ou 0,1 por cento, a 534 dólares por tonelada.

Os mercados de café arábica e açúcar bruto em Nova York ficaram fechados nesta segunda-feira em razão do feriado do Dia de Martin Luther King Jr.

Fonte: Reuters (Por Nigel Hunt com tradução da Redação em São Paulo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *