Café produzido em sistema de agrofloresta conquista prêmios e o mercado mundial de cafés gourmets

Imprimir
Apesar de o Brasil ser o maior produtor e exportador de café do mundo, quando se fala na qualidade do grão, é a Colômbia que se destaca. Para falar sobre cafés especiais, o Brasil Rural desta quinta-feira (13) entrevista Henrique Sloper Araújo, proprietário da fazenda Camocim, no Espírito Santo, que produz grãos de alta qualidade. “A diferença nossa para outros projetos de café Brasil afora é que a gente utiliza a agrofloresta como área de produção”, detalha.

O café Jacu, produzido na propriedade de Henrique, é um café de excelência, orgânico e biodinâmico. Os grãos são escolhidos e ingeridos pelos pássaros jacus, que habitam a propriedade, e, após passarem pelo trato intestinal e serem expelidos pela ave, são catados e limpos. “O Jacu é um selecionador de café”, explica o especialista, apontando que a seleção feita pela ave é a grande chave para a qualidade do café.

Henrique fala, ainda, sobre o crescimento do mercado dos cafés especiais no Brasil. Segundo ele, o mercado do café convencional cresce 3% ao ano, enquanto o de cafés especiais, 15%.

Ouça a entrevista completa:

Fonte: EBC – Empresa Brasil de Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *