Café: Nova York volta a rondar melhor nível de 13 anos e meio

Imprimir

Os contratos futuros de café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) voltaram a rondar o nível mais alto em 13 anos e meio. Os fundamentos são positivos, com aperto na oferta de grãos fino. Os fatores baixistas, como fortalecimento do dólar e rebalanço das posições de fundos de índices, deram trégua e aliviaram a pressão sobre os preços.

O vice-presidente de Vendas Institucionais, Rodrigo Costa, da Newedge Group, informa que os futuros de café marcaram novas máximas, favorecidos pela recuperação do euro. A moeda atingiu uma máxima de US$ 1,3063. Estrategistas disseram, no entanto, que os vendedores podem realizar lucros se a moeda alcançar a média móvel em 200 dias de cerca de US$ 1,3070.

O bem-sucedido leilão de bônus português, realizado ontem, só veio a se agregar aos bons indicadores do início do dia, como o crescimento da produção industrial em novembro na zona do euro e o PIB alemão de 3,6% em 2010, o maior desde a unificação das duas Alemanhas em 1992. O mercado de ações, em particular na Europa, reagiu com uma forte puxada.

As commodities trabalhavam no terreno positivo no meio da tarde de ontem. "O café também ganhou força e deve consolidar atuais níveis para depois subir mais ainda", prevê Costa. De acordo com ele, o mercado ficou mais claro, com o enfraquecimento do dólar, cuja alta vinha atrapalhando o desempenho do grão.

A liquidação de posições dos fundos de índice neste início de ano também deu mostras de perda da força. "O mercado ficou mais livre para poder subir", comenta Costa. Nava York trabalhou ontem no terreno positivo ao longo de toda a sessão. O vencimento março/11 encerrou em alta de 590 pontos, ou 2,51%, cotado a 240,60 cents. A máxima da sessão foi de 244,50 cents (mais 980 pontos). A mánima foi de 235,70 cents, 100 pontos acima do fechamento anterior.

Costa acrescenta que os fundamentos continuam positivos. As vendas de origens continuam fracas e há sinais de interesse de compra pelas indústrias. A disponibilidade de grãos finos continua pequena. "Os diferenciais estão firmes", diz Costa. A arbitragem Nova York/BM&FBovespa segue estreita.

Relatório da Organização Internacional do Café divulgado ontem, informa que o quadro mundial de oferta e demanda reforçou a firmeza dos preços ao longo de 2010. Segundo a OIC, os fundamentos atuais sugerem que os preços permanecerão firmes em 2011. Além da situação da oferta apertada, o dinamismo do consumo e o baixo nível dos estoque são fatores que devem continuar a sustentar os preços.

Na BM&FBovespa, os contratos futuros de arábica romperam o nível de 300 dólares a saca. O vencimento março/11, com 9.113 lotes em aberto, fechou cotado a US$ 301,15 a saca, em alta de US$ 9,25. O contrato setembro/11, com 5.063 lotes em aberto, avançou US$ 9,55, a US$ 293,80 a saca

EVOLUÇÃO DAS COTAÇÕES DOS FUTUROS NA ICE E NA LIFFE

  FUTUROS NA ICE Futures (em cents de dólar por libra-peso)  
        5-jan     6-jan     7-jan     10-jan     11-jan     12-jan  
  Mar/11 233,00  233,00  230,70  231,25  234,70  240,60 
  Mai/11 234,55  234,65  232,25  232,75  236,10  242,05 
  Jul/11 234,40  234,55  232,60  233,40  236,85  242,90 
  Set/11 231,40  231,75  230,70  231,40  234,60  240,40 
  Dez/11 226,80  227,40  226,75  227,45  230,40  235,65 
  Mar/12 221,85  222,45  222,20  223,05  225,90  230,95 
  Max mar/11 237,90  236,85  235,50  235,15  236,70  244,50 
  Min mar/11 230,00  232,10  230,30  230,55  230,85  235,70 
  Max mai/11 238,90  238,20  237,00  236,50  238,00  245,90 
  Min mai/11 232,25  233,70  231,80  232,00  232,45  237,05 
  Max jul/11 239,05  238,00  236,75  236,75  238,50  246,35 
  Min jul/11 231,55  233,90  232,15  232,95  233,45  237,75 
  Max set/11 235,85  234,80  234,10  234,45  235,75  243,70 
  Min set/11 228,95  230,90  230,25  230,85  233,00  235,10 
  FUTUROS NA LIFFE (em dólares por 10 toneladas)  
        5-jan     6-jan     7-jan     10-jan     11-jan     12-jan  
  Jan/11 2.038  2.026  2.018  2.058  2.105  2.162 
  Mar/11 2.005  2.029  2.023  2.055  2.110  2.167 
  Mai/11 2.023  2.047  2.041  2.071  2.125  2.187 
  Jul/11 2.068  2.056  2.051  2.082  2.134  2.197 
  Set/11 2.061  2.065  2.059  2.097  2.141  2.205 
  Nov/11 2.015  2.067  2.050  2.066  2.136  2.200 
  Jan/12 2.045  2.067  2.052  2.045  2.133  2.197 
  Mar/12 2.045  2.067  2.052  2.045  2.133  2.197 
  Mai/12 2.054  2.074  2.059  2.090  2.140  2.204 
  Jul/12 2.052  2.072  2.057  2.088  2.138  2.202 

 

 

Fontes: ICE, Liffe e Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *