Café na ICE demonstra força e ainda mira as máximas de 1997

Imprimir

Os contratos futuros de café arábica negociados na ICE Futures US encerraram esta terça-feira com bons ganhos, em uma sessão caracterizada por compras especulativas e de fundos, mesmo num dia em que outras commodities se mostraram pressionadas no mercado internacional. 

Após uma abertura com fraqueza e até registrar perdas, o café passou a registrar evolução com o início do acionamento de várias ordens de compra. Com isso, rapidamente o julho buscou se aproximar do intervalo psicológico de 300,00 centavos por libra, sem, no entanto, testar esse patamar. 

Mesmo assim, os ganhos se consolidaram e o fechamento do dia se deu num patamar bastante positivo. Operadores ressaltaram que, mesmo com sessões "corretivas", como a observada na segunda-feira, o mercado consegue se posicionar acima de médias móveis interessantes, como de 20, 50 e 100 dias, o que permite uma perspectiva interessante para novos ganhos. 

Esses operadores indicaram que o mercado deverá tender a testar a primeira grande resistência atual, em 302,50 centavos por libra, o que abriria espaço para o mercado continuar sua evolução, em busca do nível de maio de 1997, em 318,00 centavos por libra. 

Consistente, o mercado teria potencial para isso no campo fundamental. A oferta baixa do produto, principalmente por safras de porte menor de players como a Colômbia, além da temporada de ciclo baixo do Brasil, é um indicativo desse aspecto positivo, além dos estoques bastante baixos. 

Alguns operadores acreditam que o mercado estaria próximo de um teto, mas não descartam a possibilidade de os ganhos se alongarem, com amparo, efetivamente, nesse quadro fundamental. Alguns players, por sua vez, apostam numa volatilidade mais significativa. 

No encerramento do dia, o julho em Nova Iorque teve alta de 550 pontos com 296,30 centavos, sendo a máxima em 299,50 e a mínima em 286,85 centavos por libra, com o setembro tendo oscilação positiva de 550 pontos, com a libra a 299,15 centavos, sendo a máxima em 302,15 e a mínima em 290,00 centavos por libra. 

Na Euronext/Liffe, em Londres, a posição maio registrou alta de 65 dólares, com 2.473 dólares por tonelada, com o julho tendo valorização de 67 dólares, com 2.502 dólares por tonelada. De acordo com analistas internacionais, o café teve um dia de novas forças, com as compras sendo estimuladas mesmo com o cenário externo se mostrando fraco. 

As commodities novamente recuaram: o índice CRB, que mede uma cesta de 19 importantes matérias-primas do mercado voltou a recuar, ainda que de forma bastante moderada. O dólar teve um dia de ligeiro recuo. "Tivemos uma ação compradora significativa e isso deu impulso para o mercado se aproximar dos 300,00 centavos. É um quadro consistente e trabalhamos, sim, com a hipótese de testarmos o nível de 318,00 centavos", disse um trader. 

O mercado físico brasileiro reagiu muito positivamente às altas desta terça. Segundo José Roberto Marques da Costa, do site Agnocafé, cafés de boa qualidade atingiram cotações recordes no dia, em regiões como o sul de Minas Gerais, variando no nível de R$ 555 a R$ 558 por saca. "O mercado está baseado em um cenário de certa volatilidade e hoje estamos conseguindo subir consideravelmente. 

O café se posiciona acima de importantes médias móveis e isso estimula a busca por novos níveis de ganhos", disse um operador. As exportações de café do Brasil em abril, até o dia 25, somaram 1.629.341 sacas, contra 1.470.294 sacas registradas no mesmo período de março, informou o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil). 

Os estoques certificados de café na bolsa de Nova Iorque tiveram queda de 2.075 sacas indo para 1.575.600 sacas. O volume negociado no dia na ICE Futures US foi estimado em 13.857 lotes, com as opções tendo 4.712 calls e 5.321 puts. 

Tecnicamente, o maio na ICE Futures US tem uma resistência em 299,50, 299,90-300,00, 300,50, 301,00, 301,50, 302,00 e 302,50 centavos de dólar por libra peso, com o suporte em 286,85, 286,50, 286,00, 285,50, 285,10-285,00, 284,50, 284,00, 283,50, 283,00 e 282,50 centavos por libra.

Fonte: AgnoCafe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *