Café: Illy prevê cotação entre 180 cents e 200 cents em 2012

Imprimir

O CEO da torrefadora italiana illycaffé, Andrea Illy, disse hoje que as cotações do contrato futuro de café arábica podem se manter entre 180 cents e 200 cents na Bolsa de Nova York (ICE Futures US), pelo menos até a chegada do outono no Hemisfério Norte (entre setembro e outubro). Atualmente, o contrato com vencimento em maio está cotado em cerca de 183 cents.

Illy considera que as cotações futuras estão em queda numa antecipação da entrada da safra brasileira no mercado, a partir do segundo semestre. "O Brasil deve ter uma colheita abundante e o mercado tende a antecipar esse aumento da oferta em 6 a 8 meses", comentou. "A safra recorde brasileira vai entrar no segundo semestre e vai melhorar bastante a oferta e também servirá para recompor parte dos estoques", acrescentou ele, que estima a produção nacional em cerca de 55 milhões de sacas de 60 kg. A estimativa oficial da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) indica volume entre 49 milhões de 52 milhões de sacas. "O clima tem sido favorável e as lavouras vão bem do ponto de vista agronômico", informou.

Illy observou que o aumento da produção no Brasil é importante porque outras regiões produtoras não têm conseguido alcançar todo potencial produtivo, como a Colômbia, que há quatro safras consecutivas enfrenta frustração na produção por causa do clima adverso. O CEO disse que o café brasileiro tem substituído o grão colombiano na preferência dos compradores internacionais. De acordo com ele, o Brasil tem aproveitado essa janela de oportunidade e hoje é um dos maiores produtores de grãos especiais, tipo gourmet. Há cerca de 15 anos o Brasil só produzia grandes volumes da commodity, de baixo valor agregado, afirmou.

O CEO da illycaffé relatou que "2011 foi um ano muito difícil", em termos de vendas da empresa. Mesmo assim, houve crescimento de cerca de 10%. Segundo ele, três crises importantes atrapalharam o desempenho da torrefadora. Um deles foi a crise política na Norte da África, importante região consumidora. O terremoto seguido de tsunami no Japão também trouxe reflexos negativos em um dos maiores mercados de café de alta qualidade. A crise na Europa, em particular na Grécia e na Itália, arrefeceu o crescimento da demanda por café.

Andrea Illy argumentou, ainda, que o aumento do custo com a matéria-prima praticamente dobrou nos últimos 8 a 10 meses. A empresa teve de elevar o volume de recursos para comprar café em cerca de 40 milhões de euros. Além disso, foi necessário aumento de provisão para financiar o estoque. "Apesar disso, a empresa se comportou bem", disse.

Este ano o cenário não deve mudar muito. Segundo Illy, "as dificuldades devem persistir em 2012, com alguns países ricos em recessão. O crescimento fora da Europa deve contribuir para melhorar a rentabilidade". Entre os novos mercados, a expectativa é de maior crescimento no Brasil: 45%. Os negócios da illycaffé podem avançar 25% em países da Ásia. "A estratégia não muda. Nossa opção é pela seletividade do melhores clientes", afirmou.

Ele ressaltou que a presença comercial no Brasil é importante e os primeiros resultados da subsidiária SUD America, que entrou em operação no ano passado, "têm sido interessantes". Andrea Illy calculou aumento de 60% nas vendas em 2011 de produtos da illycaffé para hotéis, restaurantes e cafeterias. A ideia agora desenvolver outros mercados, em capitais como Salvador e Porto Alegre, entre outras.

Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *