Café ganha espaço com consumo acima de 20 milhões de sacas, diz ABIC

Imprimir

A Área de Pesquisas da Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) divulgou nesta terça-feira, os indicadores do consumo de café no Brasil em 2014.

O consumo interno de café no Brasil, que havia registrado uma retração de -1,23% em 2013, mostrou recuperação de +1,24% e atinge 20,333 milhões de sacas nos doze meses compreendidos entre Novembro/2013 e Outubro/2014.

O consumo per capita também aumentou ligeiramente, passando a 4,89 kg/habitante.ano de café torrado e moído (6,12 kg de café verde em grão), o equivalente a 81 litros/habitante.ano.

No período, as grandes empresas evoluíram e ampliaram sua participação sendo que várias delas aumentaram o volume em níveis próximos dos dois dígitos. Mas de um total de 1.428 empresas cadastradas em todo país em final de 2013, das quais 455 são associadas da entidade, a ABIC apurou uma redução para 1.299 empresas em final de 2014, queda de 9,0%. As 10 maiores empresas apresentaram uma participação de 74,4% em volume, sobre o total produzido pelas associadas, enquanto as 50 maiores participaram com 89,5% e as 100 maiores, com 94,6%.

A redução do número de empresas do setor, e consequente influencia no volume global, também se revelou no desempenho das empresas médias, que são aquelas que produzem volumes entre 1.000 e 5.000 sacas por mês. Este importante segmento apresentou redução em volume, ao nível de -0,84%. As 100 menores empresas declararam uma redução de volume correspondente a –25% em 2014.

Aumento das cotações do grão surpreende o setor

Sob efeito da seca e das altas temperaturas no início de 2014, que resultaram numa previsão de quebra da safra brasileira, as cotações mundiais e internas do grão se elevaram acentuadamente. O café arábica aumentou em média 58%, para R$ 455,00/saca em Dezembro/2014, enquanto o café conilon variou 22%, para R$ 275,00/saca, no ano (dados do Informe Estatístico, do DCAF-MAPA). Enquanto isto, segundo pesquisas na cidade de São Paulo, de Janeiro a Dezembro/2014, os preços dos cafés Tradicionais, nas prateleiras do varejo, subiram 9,7%, para R$ 13,88/kg, enquanto os cafés Gourmet aumentaram 12,4%, alcançando R$ 48,00/kg em média.

Vendas

A diferença dos índices de variação entre matéria-prima e o produto final, evidencia que a indústria chegou ao final de 2014 com seus custos muito pressionados. Reajustes nos combustíveis, energia elétrica, gás e câmbio, continuarão a pressionar os custos da indústria neste início de 2015.

As pesquisas da ABIC, segundo a Nielsen, continuam mostrando uma elevada penetração do café entre os consumidores. O café esta presente em 98,2% dos lares brasileiros, sendo que os lares possuem em média 3,4 pessoas, das quais 2,8 bebem café. As regiões onde o consumo mais cresceu em 2014 foram o Nordeste (+ 9,1%), o Sul (+ 8,8%) e o Centro Oeste (+7,8%). O café em pó representou 86,4% em valor, do total consumido, enquanto o segmento relativamente novo das cápsulas alcançou 1,7%, ampliando em 54% as vendas em valor em relação a 2013.

Expectativa para 2015

A ABIC estima que o consumo de café volte a crescer de forma mais intensa em 2015, alcançando os 21 milhões de sacas no ano. A diversidade de produtos oferecidos, com maior qualidade, muitos deles certificados pelo PQC – Programa de Qualidade do Café da ABIC e sustentáveis tem mantido o interesse dos consumidores. Grandes marcas e marcas regionais ou locais, nas grandes cidades e diversas regiões, principalmente Nordeste e Centro-Oeste, são responsáveis pela reconhecida melhoria da qualidade do café desde os produtos para o dia-a-dia, Tradicionais, Fortes e Extra Fortes, até os cafés Gourmet. Os cafés Superiores aparecem como alternativa para aqueles que desejam mais qualidade sem pagar preços muito elevados. As secas de 2014 e a atual, não prejudicaram a qualidade do grão de forma expressiva e em muitas regiões produtoras, a qualidade foi excepcional. Isto permitiu a indústria manter ou melhorar os seus produtos. A resposta dos consumidores virá com mais consumo. Selo de Pureza e benefícios do café e saúde serão foco da comunicação institucional da ABIC em 2015.

Fonte: Último Instante

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *