Café, expressão de puro sabor

Imprimir

O café faz parte da cultura brasileira. Quem nunca se rendeu ao cafezinho, seja durante uma reunião, uma visita à casa de amigos ou logo após o almoço? A bebida é a segunda mais consumida do mundo, perdendo apenas para a água e à frente da cerveja, do chá e de outros produtos. Mas para conquistar paladares exigentes, qualidade é fundamental.

E disso, a empresa italiana Illycaffè sabe bem. Com quase oitenta anos de tradição no processamento e fabricação de expressos especiais, a companhia, administrada pela terceira geração da família Illy, investe constantemente em ações que possam levar o sabor e o aroma de um autêntico café italiano, para diversas partes do mundo.

Um dos locais onde a empresa estuda estratégias para a expansão de sua marca é o Brasil. “Queremos promover a bebida aqui e no mundo pela qualidade, saúde, sustentabilidade e prazer”, afirmou Andrea Illy, presidente da Illycaffè em sua visita anual ao Brasil. Também pudera. No ano passado, enquanto na Europa o consumo da bebida despencou, a empresa registrou aumento de 45% no mercado brasileiro e outros 25% na Ásia.

Não só o consumo sofreu queda, mas a produtividade mundial também. A Colômbia vem sofrendo perdas sucessivas com os problemas climáticos que assolam suas lavouras. Com isso, o Brasil vem ganhando espaço não só como consumidor, mas reforçando sua posição de grande exportador. “A constante melhora na qualidade dos grãos brasileiros e sua grande produção, estão contribuindo para aumentar o volume e também a qualidade do grão mundialmente”, diz Andrea.

Estratégia de mercado A estratégia da companhia por aqui se baseia principalmente na venda de seus produtos em hotéis, restaurantes e cafeterias – onde a presença da Illycaffè aumentou 60% no ano passado, mas também em supermercados voltados para classe A e B, como o Pão de Açúcar e os empórios, bastante comuns em bairros nobres de São Paulo, por exemplo. “Queremos servir os melhores clientes no Brasil”, diz Andrea.

O primeiro show room da empresa no Brasil foi inaugurado no final do ano passado no bairro paulistano dos Jardins. Endereço nobre de marcas e grifes famosas, como Marc Jacobs, Gucci, Armani, entre outras. Já no shopping Cidade Jardim, outro endereço preferido dos que buscam produtos classe A, está a cafeteria Expressamente Illy, onde os clientes podem experimentar as diferentes opções de café.

Andrea diz que a empresa tem interesse em expandir o número de lojas e cafeterias no Brasil, “mas estamos em busca de um bom parceiro com experiência em food service para isso”. Ao todo, já existem 240 cafeterias próprias da Illy espalhadas pelo mundo e segundo o executivo, a previsão é de que neste ano, cerca de 30 novas lojas sejam abertas em diferentes países.

Grão brasileiroDesde que aportou em terra verde e amarela, há 22 anos, a Illycaffè busca os melhores produtores de café, que possam fornecer à empresa o melhor da variedade arábica “made in Brasil”. Mas a qualidade do café, no início, deixava a desejar. Para solucionar o problema, a companhia desenvolveu um trabalho de orientação de produtores para que a busca pela melhoria se tornasse constante.

Assim, além de visitas técnicas e orientação dos cafeicultores, a Illy também arca com as diferenças no custo da lavoura, para que o café produzido tenha a melhor qualidade e o padrão que faz da marca referência mundial. “Também conseguimos obter a certificação dos produtores e orientamos para que as boas práticas agrícolas sejam aplicadas nas propriedades”, explica Andrea.

Para incentivar a continuidade do processo de melhoria, a empresa cultiva desde 2000 o seu clube de fidelização dos produtores. Hoje já são mais de 600 agricultores. “Com este programa, conseguimos reunir os melhores fornecedores e recompensá-los pelo trabalho de melhoria contínua para fornecer os melhores grãos”, diz Andrea.

Os fidelizados recebem informativos com dicas para melhorar a produção e até manuais de boas práticas agrícolas. Os profissionais que atuam no campo, como engenheiros agrônomos, têm acesso a cursos e palestras na Universidade do Café no Brasil.

Mercado
 Em um momento em que a produção de café na Colômbia e em alguns países da África como a Etiópia, sofre perdas, os preços do grão ficaram um pouco indigestos. Andrea explica que por conta da alta, a empresa teve um aumento de 40 milhões de euros no orçamento para poder comprar os grãos. “Os preços quase dobraram nos últimos meses, isso significa maior custo de produção para a empresa”, diz.

Ele explica ainda que 80% das vendas da Illycaffè são constituídas por expresso. Entre os principais mercados estão França, Japão, Coreia, Estados Unidos, seguidos pela Inglaterra e Congo e, em breve, o Brasil.

Fonte: Sou Agro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *