Café: Especulação e insegurança levam operadores a mudar de posição rapidamente

Imprimir

O mercado de café não se alterou está semana. As bolsas de futuro trabalharam com fortes oscilações e na ICE Futures US os contratos de café com vencimento em julho próximo chegaram a oscilar mil pontos em um único pregão. Mais uma vez, o comportamento das cotações não reflete alguma mudança nos fundamentos do mercado de café ou alguma alteração significativa nos rumos da crise europeia.

Especulação e insegurança levam os operadores a mudar de posição rapidamente, às vezes em segundos, em um movimento que não traduz o que acontece no mundo real. O grande problema é que o mundo real, produtores, trabalhadores, industriais e consumidores, são fortemente prejudicados pelo comportamento de um mercado futuro que perdeu a função para o qual foi criado.
 
No mercado físico brasileiro os negócios foram fechados em pequeno volume, com muitos produtores recusando os preços oferecidos pelos compradores.
 
Recomendamos a leitura do editorial “Mercados Esquizofrênicos”, publicado na edição da última quarta-feira do jornal “O Estado de São Paulo”, e do artigo “Estoques reduzidos deverão manter preços do café em alta”, elaborado pela Prof.ª Sylvia Saes e publicado no jornal “Folha de São Paulo”, também na última quarta-feira.
 
O Conselho Monetário Nacional aprovou ontem a aplicação de recursos do FUNCAFÉ – Fundo de Defesa da Economia Cafeeira para o financiamento da próxima safra brasileira de café 2012/2013. São R$ 500 milhões para custeio, R$ 900 milhões para estocagem, R$ 250 milhões para o FAC – Financiamento para aquisição de café, R$ 50 milhões para contratos de opções e de operações em mercados futuros e R$ 225 milhões para o financiamento de capital de giro para indústrias de café solúvel e torrefadoras.

Até o dia 26, os embarques de abril estavam em 1.224.738 sacas de café arábica, 24.612 sacas de café conillon, somando 1.249.350 sacas de café verde, mais 166.731 sacas de solúvel, contra 1.301.858 sacas no mesmo dia de março. Até o dia 26, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em abril totalizavam 1.839.651 sacas, contra 1.785.031 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 20, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 27, caiu nos contratos para entrega em julho próximo, 245 pontos ou US$ 3,24 (R$ 6,11) por saca. Em reais por saca, as cotações para entrega em julho próximo na ICE fecharam no dia 20 a R$ 442,18/saca e hoje, dia 27, a R$ 440,10/saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em julho, a bolsa de Nova Iorque fechou com alta de 65 pontos.

Fonte: Escritório Carvalhaes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *