Café: elevação de encargos financeiros do Funcafé é “compreensível”, diz Brasileiro

Imprimir

O presidente executivo do Conselho Nacional do Café (CNC), Silas Brasileiro (foto: divulgação CNC), considerou "compreensível" a elevação dos encargos financeiros nas operações do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé). A taxa de juros do fundo passou de 6,50% para 8,75% para produtores e cooperativas, a partir de 1º de julho, conforme determinação do Conselho Monetário Nacional (CMN). "Entendemos que a elevação ocorrida reflete a realidade do atual cenário econômico do Brasil", informou Silas Brasileiro, por meio de comunicado.

O dirigente ponderou o setor chegou a solicitar que as taxas de juros para operações com recursos do Funcafé fossem mantidas nos níveis do ano passado. Já a remuneração da instituição financeira (spread) foi mantida em 4,5% ao ano.

O CNC informou, ainda, que o Ministério da Agricultura tornou público que contratará instituições financeiras integrantes do Sistema Nacional de Crédito Rural (SNCR) para atuarem como agentes na aplicação e na administração de recursos do Funcafé. As propostas deverão ser encaminhadas até o dia 10 de junho de 2015.

Em relação ao capital do Funcafé para a safra 2015/16, Brasileiro comentou que o "governo atendeu à orientação do Comitê Diretor de Planejamento Estratégico do Café (CDPE), do Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC), e aprovou orçamento recorde de R$ 4,136 bilhões, montante 8,1% superior ao de 2014".

Fonte: Agência do Estado via CNC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *