Café da Colômbia vai a outro lado do mundo vendido via rede

Imprimir

A partir de agora, o café envasado pela empresa Juan Valdez é vendido na China, através do portal Yihaodian, considerado como o mais importante do comércio eletrônico de alimentos nesse país asiático. A formalização dessa transação econômica foi feita, de forma conjunta, em Pequim, pela Procafecol (Promotora de Café da Colômbia), pelo portal da internet e pelo distribuidor Beijing Junjie trade.

"A assinatura desse acordo marca o início da chegada de Juan Valdez a China, mediante o comércio eletrônico. Decidimos realizar nosso ingresso mediante o Yihaodian, pois como o comércio eletrônico poderemos chegar a todo território a preços competitivos", indicou Hernán Méndez, presidente da Procafecol.

Por sua vez, Yu Fang, presidente da Beijing Junjie Trade e um dos distribuidores de Juan Valdez no país asiático considerou que o café colombiano tem características muito especiais, o que o torna único. "A marca tem um portfólio muito amplo de produtos e uma imagem que o torna muito atrativa, pois acreditamos que será muito bem acolhida pelos consumidores chineses", assinalou. Para lançar seu produto nesse mercado, a Procafecol e seu aliado escolheram a Yihaodian, que é um portal especializado na venda de alimentos importados que são adquiridos junto ao Wal-Mart.

Fang adicionou que os clientes potenciais para o café colombiano serão os jovens, que estão se acostumando a buscar novos produtos através dos portais da internet. Nos próximos meses, a expectativa é iniciar as vendas, através de outros portais de comércio eletrônico chinês, como 360buy, Taobao, TMall e Amazon.

O café colombiano está presente na China desde o ano de 2000, mediante exportações diretas equivalentes a cerca de 1,5 milhão de dólares por ano. Nos últimos quatro anos, as vendas de café cresceram 45%, graças ao aumento da demanda do produto em terras chinesas. Os habitantes do país beberam o equivalente a 25 toneladas de café em 2011, ao passo que um levantamento do Barclays Capital estima que o consumo da bebida incrementará a um ritmo de 40% até 2015.

Fonte: AgnoCafé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *