Café coado faz bem ao coração, mas expresso aumenta colesterol, diz estudo

Imprimir

Um estudo recente mostra que o tradicional cafezinho pode ser o vilão e o mocinho da saúde. Enquanto o café expresso pode aumentar o colesterol, o café coado, além de prevenir doenças cardíacas, é benéfico para pessoas que já tiveram algum problema no coração. O segredo do café coado é que ele é filtrado. As informações vêm de uma pesquisa preliminar realizada pelo Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

A pesquisa estudou os efeitos do café em dois grupos: um de pacientes que já possuíam doenças de coração e outro de pessoas saudáveis. Os resultados mostraram que, ao beber de 3 a 4 xícaras grandes de café todos os dias, não havia aumento da pressão arterial, nem dos índices de colesterol. O café ainda aumentou a tolerância de todos os indivíduos ao exercício físico.

Segundo o cardiologista Luiz Antonio Machado César, coordenador da pesquisa, as substâncias do café são semelhantes às que estão presentes no vinho e nos sucos de frutas. "[Essas substâncias] ajudam a combater a diabetes e aumentam a energia".

O pesquisador afirma ainda que o café expresso não tem os mesmos benefícios do coado. "O coador é capaz de reter as substâncias gordurosas do café, o que não acontece com o expresso".

Para o diretor científico do grupo de estudos em Insuficiência Cardíaca da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Evandro Tinoco Mesquita, o café não tem contraindicação. "O que os estudos vêm mostrando é que o café é altamente benéfico para o coração. Ele possui substâncias que colaboram para proteger o órgão".

Tinoco, entretanto, chama a atenção para o tipo de café ingerido. "O que pode acontecer é o café perder algumas de suas propriedades dependendo do tipo de processamento".

O diretor executivo da Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic), Nathan Herszkowicz, afirma que o melhor tipo de café é de torragem média, a preferida entre os brasileiros. "O brasileiro gosta de sabores mais amargos, o que é a característica dos grãos menos torrados. Quanto mais torrado, menos propriedades benéficas". 

Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *