CAFÉ/CEPEA: Demanda interna reduz diferencial entre cafés de qualidade e inferiores

Imprimir

O café arábica tipo 6 bebida dura para melhor vem registrando sucessivas quedas no físico brasileiro, influenciado pela desvalorização do grão no mercado internacional. O preço do café arábica inferior (especialmente o tipo 7 bebida rio), por sua vez, tem caído menos devido à boa procura por parte de torrefadoras nacionais.

De acordo com agentes consultados pelo Cepea, a sustentação do preço do robusta também ajuda a dar certa firmeza ao arábica rio, já que o robusta representa, no mercado interno, um piso para o arábica de menor qualidade.

Na média da temporada 2012/13 (julho/12 até janeiro/13), o arábica tipo 6, bebida dura para melhor (Indicador CEPEA/ESALQ) recuou 24% ante o mesmo período de 2011/12, enquanto que o arábica tipo 7, bebida rio caiu apenas 7%. Nesse cenário, o diferencial entre esses tipos tem se estreitado.

Em fevereiro de 2011, a saca do tipo 6 valia 198 reais a mais; no mesmo mês de 2012, a diferença esteve em apenas 97 reais e, agora, início de fevereiro, limita-se a cerca de 50 reais. Vale lembrar que, nas safras 2010/11 e 2011/12, os valores do arábica de qualidade (tipo 6) estavam em patamares bastante elevados, o que justifica o alargamento dos diferenciais naqueles períodos.

Fonte: Cepea

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *