Café: aumento da oferta global pode limitar alta de preço no 1º trimestre

Imprimir
O potencial de produção de café de Vietnã e Brasil, além dos níveis de produção em outros grandes países produtores da América Latina, Ásia e África, pode elevar a oferta global do produto, o que limitaria a alta de preço dos futuros do grão no primeiro trimestre. A constatação é da consultoria INTL FCStone, em relatório trimestral de perspectiva, assinado por Alexis Rubinstein.

Os principais fundamentos para os contratos futuros de café no primeiro trimestre de 2019 são as visitas a campo no Brasil para estimar a produção de 2019/20 e o fluxo de exportações do Vietnã para 2018/19 (outubro/setembro). “O pensamento atual é que a safra brasileira 2019/20 seja cerca de 10% mais alta do que a safra baixa anterior de 2017/18”, estima a consultoria.

Com a maior parte da colheita vietnamita começando em meados de novembro, pode ser observada uma aceleração das exportações no primeiro trimestre pelo país, diz a consultoria. Além disso, as vendas do Vietnã tendem a ser mais altas antes das festividades do Tet, numa tentativa de lucrar antes da evento. Em 2019, o Tet ocorrerá na semana de 4 de fevereiro. “Tudo depende de quão favorável serão os preços para os vendedores antes das festividades”, informa a FCStone.

Com relação à macroeconomia, as moedas continuam em destaque, particularmente o desempenho do dólar e do real. “A perspectiva é de fortalecimento do real em relação ao dólar no primeiro trimestre”, considera a consultoria. No início do 1º trimestre, o real novamente se fortalece com a promessa do governo, que afirma que vai “consertar” a economia brasileira. Alguns analistas acreditam em força maior do real neste trimestre, diz a FCStone. Em 14 de janeiro, o real encontrava-se em R$ 3,69 ante o dólar, em comparação com R$ 3,88 no primeiro dia do ano.

Fonte: Estadão Conteúdo via IstoÉ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *