Café atinge máximas de vários anos na ICE

Imprimir
Os contratos futuros dos cafés arábica e robusta na ICE atingiram novas máximas de vários anos nesta quarta-feira, em meio a um sentimento positivo no mercado financeiro e um cenário de ofertas apertadas.

O contrato julho do café arábica fechou em alta de 9,5 centavos de dólar, ou 6,8%, a 1,4985 dólar por libra-peso, o maior nível desde fevereiro de 2017.

O café robusta para julho fechou em alta de 64 dólares, ou 4,3%, a 1,538 dólar a tonelada, maior preço desde março de 2019.

Operadores afirmaram que as compras por fundos estão enfrentando pouca resistência de venda por parte dos produtores, à medida que cafeicultores brasileiros seguem preocupados com o tamanho da safra deste ano.

“Com o avanço do mercado, novas ordens de compra foram disparadas, dando ainda mais impulso”, afirmou um corretor.

Relatórios recentes de gigantes do café, como a Starbucks, indicam que a demanda está melhorando com o avanço da vacinação contra a Covid-19.

O Commerzbank afirmou que, em contraste à produção do arábica, a safra de café robusta do Brasil deve atingir respeitáveis 20,7 milhões de sacas.

“Nós continuamos a esperar que o preço da robusta esteja a 1.300 dólares a tonelada no quarto trimestre”, afirmou o banco.

Fonte: Reuters (Por Marcelo Teixeira)