Café arábica atinge mínima de 8 meses na ICE com temores de demanda

Imprimir
Os contratos futuros do café arábica negociados na ICE fecharam no menor nível em oito meses nesta segunda-feira, à medida que boas perspectivas para a produção e temores de uma queda na demanda pressionaram as cotações.

Os futuros do açúcar bruto avançaram, apoiados pela alta nos preços do petróleo.

CAFÉ

* O contrato julho do café arábica fechou em queda de 0,35 centavo de dólar, ou 0,4%, a 93,65 centavos de dólar por libra-peso, menor nível de fechamento desde 17 de outubro de 2019.

* Operadores afirmaram que o panorama segue negativo para os preços, diante do bom ritmo de colheita no Brasil e do clima favorável tanto na América Central quanto no Vietnã e na Indonésia, o que deve impulsionar as perspectivas de produção.

* “Ainda há temores quanto à reabertura, considerando os novos hábitos de consumo e a queda na renda. E existe o potencial de uma maior produção global. Continuamos baixistas”, disse um exportador brasileiro.

* Os estoques de café verde nos Estados Unidos avançaram pelo segundo mês consecutivo, uma vez que a maior parte das cafeterias do país estão operando sob condições muito restritas.

* O café robusta para julho recuou 17 dólares, ou 1,5%, para 1.148 dólares por tonelada.

Fonte: Reuters (Por Marcelo Teixeira)