BSCA convoca produtores para participarem do 11º Concurso de Qualidade Cafés do Brasil

Imprimir

Além do marketing e da visibilidade de seus cafés e da região produtora, cafeicultor pode vender a saca por valores muito superiores aos oferecidos pelo mercado — de R$ 1.000,00 a R$ 15.000,00, conforme resultado dos certames anteriores.

Vender a saca de café por valores entre R$ 1.000,00 e R$ 15.000,00. Esse é um dos benefícios que o produtor brasileiro tem ao participar do 11º Concurso de Qualidade Cafés do Brasil – Cup of Excellence 2010, evento organizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA, na sigla em inglês) em parceria com Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Alliance for Coffee Excellence (ACE) e Agricoffee.

O prazo para inscrição das amostras, na fase de pré-seleção, tem início nesta segunda-feira (23) e se estende até o dia 28 de setembro. É válido salientar que esta é a única oportunidade que o produtor de café da variedade Coffea arabica no Brasil tem para concorrer aos elevados prêmios pagos no Leilão do Cup of Excellence, uma vez que, nas demais etapas até o leilão, o trabalho de seleção fica a cargo dos classificadores e degustadores que compõem os júris nacional e internacional.

Segundo o vice-presidente da BSCA, Luiz Paulo Pereira Dias Filho, o certame é uma oportunidade ímpar para o produtor demonstrar a qualidade de seus melhores cafés. “O concurso abre uma grande porta ao cafeicultor, transmitindo as vantagens, principalmente comerciais, que pode ter ao introduzir seu produto nesse nicho”, explica.

Dias Filho frisa, ainda, a importância que o certame teve para a região de Carmo de Minas (MG), município que venceu o concurso, pela primeira vez, em 2002. “Visto o benefício que o ganhador teve, os demais produtores passaram a investir em qualidade, na produção de cafés especiais, e vem colhendo bons frutos, independente de vencerem ou não, uma vez que os cafés que vão à fase final, e também os cultivados por esses produtores, são comercializados a preços superiores aos oferecidos pelo mercado”, destaca.

Para o produtor Ralph de Castro Junqueira, vencedor do CoE 2008 e cafeicultor no município de Carmo de Minas, o ponto mais importante é a visibilidade e a abertura de mercado que o Concurso e o Leilão propiciam. “A gente mostra que tem um café de qualidade e abre novos parceiros comerciais, tanto em nível de Brasil, quanto em nível mundial, fazendo o marketing da propriedade, o marketing da região”, comenta.

Tal opinião é compartilhada por Antonio Rigno de Oliveira, produtor de cafés especiais em Piatã (BA), quinto colocado no Leilão de 2009 e preparador do café campeão, de seu conterrâneo Candido Wladimir Ladeia Rosa. “Tem-se a oportunidade de elevar o nome da região, que é de pequenos produtores, mas que toda semana passou a receber um grupo de japoneses, de coreanos, de tailandeses em virtude desse prêmio, demonstrando a importância do Cup para a gente, mas, principalmente, para os municípios e à região”, cita, fazendo alusão à visibilidade e à abertura de novas parcerias comerciais.

Essa realidade também é vivida na região de Carmo de Minas. “Temos visto, a cada ano, mais pessoas e mais empresas que valorizam nosso produto e correm atrás dos cafés da nossa região”, salienta Ralph Junqueira. Já Antônio Oliveira completa mencionando que, desde que Piatã se destacou no Leilão do ano passado, a região ganhou visibilidade. “Várias televisões aparecem por aqui e destacam nossas propriedades como exemplo de produção. Sou um incentivador do cultivo de cafés especiais, bato à porta dos amigos produtores para fazermos cafés especiais, com qualidade, para colhermos os frutos desse investimento”.

O presidente da BSCA, Túlio Henrique Rennó Junqueira, explica que, com o concurso, o objetivo da Associação, da Apex-Brasil e da ACE é o de valorizar a imagem do produto nacional. “O grande atrativo é o fato de mostrarmos ao mundo que o Brasil tem o melhor café do planeta”, destaca. Não obstante, o melhor preço alcançado em todos os leilões mundiais do Cup of Excellence foi pago a um café brasileiro, em 2005, quando cada uma das 25 sacas do produtor Francisco Isidro Dias Pereira, de Carmo de Minas, foi comprada por R$ 14.872,90.

O 11º Concurso de Qualidade Cafés do Brasil – Cup of Excellence 2010 será auditado pela BCS ÖKo-Garantie-Brasil e conta com o apoio de Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), Conselho Nacional do Café (CNC) e Centro de Excelência do Café do Sul de Minas (CEC).

Aos interessados, O regulamento consta em anexo. Mais informações podem ser obtidas junto à BSCA, através do telefone (35) 3295-7622 ou do e-mail info@bsca.com.br.

SERVIÇO
11º Concurso de Cafés Especiais do Brasil – Cup of Excellence 2010
Local: CEC Sul de Minas, Rodovia MG 453 (Paraguaçu – Machado), km 18 – Machado (MG)
23/08 a 28/09: inscrição das amostras, na fase de pré-seleção.
09 e 10/09: prova de seleção da equipe de jurados.
04 a 08/10: etapa da pré-seleção do Cup of Excellence.
08 a 12/11: Júri Nacional do Cup of Excellence.

Fonte: Assessoria de Comunicação 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *