Brasil tem safra recorde de 50,8 mi sacas de café em 12/13

Imprimir

A safra de café do Brasil 2012/13 foi estimada em um recorde de 50,8 milhões de sacas de 60 kg em relatório divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) nesta quinta-feira.

O volume representa um aumento em relação à previsão anterior, de 50,5 milhões de sacas, divulgada em setembro pela estatal. O crescimento se refere ao ano de alta no ciclo bianual de produtividade dos cafezais.

A safra 12/13 será a maior do Brasil desde o ciclo 2002/03, quando foram colhidas 48,48 milhões de sacas de café.

A colheita de café do Brasil, maior produtor e exportador mundial da commodity, já foi concluída. A nova safra, a 2013/14, que será de baixa no ciclo bianual, terá sua primeira estimativa oficial em janeiro.

A colheita de arábica, principal variedade brasileira, foi estimada em 38,3 milhões de sacas, enquanto a de robusta foi prevista em 12,5 milhões de sacas.

A produção total da commodity crescerá 16,9 por cento ante a colheita anterior e 5,7 por cento ante último ano de alta da produção (2010/11), segundo comunicado da Conab.

"Condições climáticas favoráveis a partir de meados do mês de novembro de 2011 aliadas ao incremento dos tratos culturais, além de promover o pegamento das flores e frutos, propiciaram o bom desenvolvimento vegetativo e produtivo dos cafezais", disse a estatal no relatório.

Alguns especialistas em café questionam a projeção da Conab de que a safra 2012/13 seja a maior da história do Brasil. Exportadores, que constantemente produzem estimativas maiores do que as da Conab, consideram que a safra 2010/11 foi maior.

A Conab disse que aquela colheita foi de 48,09 milhões de sacas, cerca de 3 milhões de sacas a menos que sua estimativa para o período atual. A agência, desde então, mudou seus métodos e sua projeções estão agora mais perto do registro destes exportadores.

MAIOR PRODUTOR

Em Minas Gerais, principal Estado produtor, a produção é apontada em 26,9 milhões de sacas de café, alta de 21 por cento ante o ciclo anterior (de baixa no ciclo). A produtividade no Estado foi estimada em 26,20 sacas por hectare.

"De maneira geral as lavouras se apresentam bem enfolhadas, vigorosas e com bom aspecto vegetativo e nutricional… refletindo a melhora dos tratos culturais incentivados pela recuperação dos preços do café a partir da safra 2010/11", apontou.

No Espírito Santo, segundo maior produtor, a safra é estimada com incremento de 8 por cento sobre o ciclo anterior, a 12,5 milhões de sacas.

"O acréscimo na produção estadual se deve, sobretudo, à renovação e revigoramento do parque cafeeiro capixaba, utilizando novas bases tecnológicas", informou.

A estatal acrescentou que tal condição sinaliza boas perspectivas de produção para a próxima temporada.

Fonte: Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *