Brasil deve fechar 2015 com embarques de 36 mi de sacas, informa Cecafé

Imprimir

Tendo embarcado já 29,8 milhões de sacas de café (verde, solúvel e industrializado) no acumulado do ano até outubro, o Brasil deverá fechar 2015 com embarques chegando as 36 milhões de sacas, como em 2014. A avaliação é da diretora geral do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), Luciana Florêncio. Ela falou à Agência SAFRAS durante o 23 Encafé (Encontro Nacional da Indústria do Café), que ocorre de 11 a 15 de novembro, na Ilha de Comandatuba, localizada no município de Una, sul da Bahia.

Segundo Luciana Florêncio, apesar d a safra 2015 do Brasil prejudicada pelo clima, os estoques têm garantido um bom fluxo nas exportações, favorecido ainda pelo dólar elevado contra o real. "O impacto da safra vamos ver em 2016, porque agora ainda temos estoques. Mas uma hora os estoques vão ser reduzidos e isso vai afetar", afirmou.

O Cecafé não tem estimativa própria, mas Luciana Florêncio observa que o mercado fala em queda nas exportações para 2016 de 8% a 10%, o que poderia aproximar os embarques de 32 a 33 milhões de sacas no próximo ano.

Luciana Florêncio diz que a volatilidade que o Brasil tem enfrentado no câmbio acontece no mundo inteiro e nesse momento estamos "sentindo mais na pele devido à questão política, mas o dólar tem con tribuído para um bom ritmo nas exportações". "O importante é o exportador encontrar um bom equilíbrio para sua atividade, frente às volatilidades dos preços do café, do câmbio e gerenciar custos", indicou.

Quanto a desafios para o setor exportador, Luciana observou a importância de melhorar a imagem e identidade do café brasileiro no exterior. "Queremos ter parte nesse processo", disse. Destacou que é preciso que se reúnam as informações de forma objetiva para dar ao mercado os dados que comprovam que o café do Brasil já é sustentável, ao contrário do que se pensa lá fora muitas vezes. "O Cecafé é referência no mundo com seus dados, com suas estatísticas, é referênc ia. Queremos fazer isso com as informações sobre os cafés sustentáveis do Brasil, mostrar objetivamente ao mercado com base em dados que nosso café já é sustentável, só não conseguimos mostrar isso ainda com mais afinco", defendeu.

O CeCafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil) apresenta no Encafé as novas metas propostas para o programa de responsabilidade social Produtor Informado. Nos últimos anos, esta iniciativa já treinou 1.106 produtores em 135 salas digitais instaladas. Luciana Florêncio diz que a meta para 2016 é de mais 2.000 produtores serem treinados em 50 cidades, de Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Rondônia.

A iniciativa capacita cafeicultores interessados em melhorar a gestão de suas propriedades e a qualidade do seu café, adotando o computador e a internet como ferramentas de apoio e busca por informação sobre clima, preços, mercados, técnicas de produção e boas práticas agrícolas de sustentabilidade. Além das aulas, os agricultores participam de dois dias de campo para prática e networking com especialistas e outros agricultores.

Fonte: Agência SAFRAS (Lessandro Carvalho) via News Cafeicultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *