Botânica do Cafeeiro

O cafeeiro é uma planta Dicotiledônea, da classe
das Angiospermas, da sub-classe das Sempetals da ordem Rubiales, da família
das Rubiáceas, do gênero Coffea e do sub-gênero Eucoffea.
Do gênero Coffea, família das rubiáceas, os grupos mais
importantes são:
(A) – Coffea arabica – L
(B) – Coffea liberica – Hiern
(C) – Coffea oawevrai – De Wild Et Dur (Coffea Excelsa – Chew)
(D) – Coffea stenophylla – Pierre Ex Froehner (Coffea Robusta – Siden)
(E) – Coffea congensis – Frohner
(G) – Híbridos

(A) – GRUPO DO COFFEA ARABICA
Originário da Etiópia onde é encontrado em estado silvestre,
é grupo mais cultivado. Suas características principais são:
boa produção e uma bebida fina e acentuada, que só é
prejudicada por alguns fatores que agem apenas sobre o fruto após ter
ultrapassado a estado de “cereja”.

(B) – GRUPO DO COFFEA LIBÉRICA
É originário da África ocidental a muito cultivado na república
da Libéria, donde provém o nome. Todas as partes deste cafeeiro
são maiores que as do coffea arabica. Suas flores apresentam de 6 a 8
pétalas, também de maiores dimensões que as do coffea arabica.
Floresce durante todo ano e seu fruto necessita de um ano para completo desenvolvimento,
sendo que, quando madura, não cai espontaneamente.

(C) – GRUPO DO COFFEA EXCELSA
Foi encontrado por Augusta Chevalia em 1903, no Lago Chad, na Nigéria
– África. É o maior dos cafeeiros, atingindo comumente de 8 a
15 metros de altura, tem as folhas semelhantes às do coffea Libérica,
grãos miúdos e proporções de uma árvore.

(D) -GRUPO DO COFFEA ROBUSTO (COFFEA CANEPHORA)
É encontrado na África Tropical. Conhecido mundialmente por sua
bebida neutra e bastante produtiva e serve de lastro nas ligas (Blends). Suas
folhas são de tom verde claro a as flores são grandes e numerosas.
É como o Coffea Libérica, bem resistente ao fungo conhecido como
Hemiléia Vastatreiz.

(E) GRUPO DO COFFEA STENOPHYLLA
Foi encontrado na África Ocidental, onde até hoje e cultivada.
Suas folhas são pequenas, largas a pontudas. No mercado é conhecida
por “Rionunez”.

(F) GRUPO DO COFFEA CONGENSIS
Encontrado no Rio Congo, prefere as terras sujeitas às inunbações.
Suas folhas são semelhantes às do Coffea Stenophylla as flores
e frutos aos do Coffea arabica. É também conhecido por Cafeeiro
do Congo ou Cafeeiro dos rios inundados.

(G) GRUPO DOS HÍBRIDOS
Em razão da uniformidade de nossas culturas, que em sua maioria são
formadas pelas variedades Typica (comum) e Bourbon, e pouco comum o aparecimento
de Híbridos naturais em nossa terra.
Devemos aqui ressaltar que o nosso Maragogipe não é um Híbrido,
mas uma variedade nova que apareceu na Vila Maragogipe, na Bahia, oriunda de
cafeeiros Arábicos, por meio de mutações (mudança
violenta que se processa na semente e que dá origem a uma espécie,
com caracteres diferentes. O fenômeno ainda não é bem explicado).
Este fenômeno se deu com o Mundo Novo, surgindo na cidade de Mundo Novo,
hoje Urupês, no Estado de São Paulo.

PRINCIPAlS VARIEDADES DO COFFEA ARABICA E SUAS QUALIDADES

Primeiramente citaremos as duas variedades fundamentais das quais se derivam
as demais
1 – C. arabica L. – Var. Typica (Cramer) – Compreende as variedades conhecidas
como Comum, Nacional, Crioulo, Brasil e Sumatra, que apresentam as mesmas características
morfológicas da variedade Typica. Suas folhas são mais estreitas
a menos onduladas que as do Bourbon, e seus frutos ligeiramente maiores. O grão
da variedade Typica (Nacional e Comum) é maior que a do Bourbon, mais
alongado e mais plano na parte ventral, do que aquele.

C. arabica L. – Var. Typica, forma Xanthocarpa (Caminhoah) – Krug. Também
conhecido como Café Amarelo, Café Botucatu, Café Amarelo
de Botucatu e Golden Drop Coffee.

2 – C. arabica L – Var. Bourbon (B. Rodr.) Choussy – também conhecido
pelo nome de Café kawa, possui grão mais arredondado e pouco menor
que a do comum, ligeiramente curvo na parte dorsal a levemente côncavo
na parte ventral.

C. arabica L. – Var. Bourbon, forma Xanthocarpa – Krug, Mendes a Carvalho
– A forma de frutos amarelos da variedade Bourbon é também conhecida
pelo nome de Café Bourbons amarelo.

As demais variedades originam-se destas duas já citadas.

A) – C. arabica L – Var. Maragogipe – Honte ex Froehner – Difere da variedade
Typica por um fator genético dominante, chamado macrogametas, que condiciona
um aumento de todas as partes da planta. Surgiu como mutação da
var. Typica, na localidade de Maragogipe, na Bahia. Comparado com var. Typica,
a Maragogipe apresenta maior porte, folhas caídas, abauladas e largas
na base, flores alongadas e retorcidas, assim como sementes também maiores
e de conformação muito irregular, o que impossibilita a confusão
com outras variedades.

C. arabica L – Var. Maragogipe, forma Xanthocarpa – Krug, Mendes a Carvalho
– A forma de frutos amarelos de var. Maragogipe é também conhecida
pelos nomes de Café Maragogipe Amarelo, Café Coronel, Café
Figo.

B) C. arabica L – Var. Caturra – Krug, Mendes a Carvalho – É uma
mutação de var. Bourbon a também conhecida por Café
Nanico. Difere do Bourbon, pelo seu porte menor e pelas formas arredondadas
de seus grãos.
C. arabica L – Var. Caturra, forma Xanthocarpa – Drug, Mendes a Carvalho – Tanto
na variedade caturra de frutos vermelhos como a de frutos amarelos são
de seleção bastante nova.

C) C. arabica L- Var. Mundo Novo – Carvalho e outros – Apareceu no município
de Mundo Novo, hoje Urupês, na Araraquarense, no Estado de São
Paulo. Parece tratar-se de um cruzamento das variedades Sumatra e Bourbon, e
subseqüente retorno a forma de Bourbon, porém conservando muitos
caracteres desejáveis do Sumatra. Essa variedade caracteriza-se pela
abundante vegetaçãoe grande produção. Atualmente
é a variedade mais plantada no Estado de São Paulo.

D) C. arabica L – Var. Cera – Também conhecida por Café
Gema, se distingue pela coloração amarela de suas sementes.

E) C. arabica L – Var. Murta – Sues folhas são elípticas.
Seus grãos são pequenos, finos e alongados, tendo as extremidades
em pontas. Seu formato assemelha-se a uma canoa, razão pela qual é
também conhecido por “canoinha” a produção desta
variedade é baixa, em relação ao Bourbon.

OUTRAS VARIEDADES DO COFFEA ARABICA

ANAN – Folhas pequenas e dificilmente florescem.
ANGUSTIFOLIA – Caracteriza-se por suas folhas muito estreitas na base.
ANOMALA – Apresenta irregularidades em todos os setores, principalmente nas
folhas que são bem deformadas.
ANORMALIS – Tem as folhas bem irregulares, mas de uma forma característica,
a que lhe valeu a designação de “Pé de Pato”.
BULLATA – Caracterizada por folhas largas a arredondadas e esterilidade acentuadas
das flores.
BLUE MOUNTAIN – Originária da Jamaica.
BUCAMARANGA – Originária da Colômbia
CALYCANTHEMA -Tem flores cujo cálice é de natureza petalóide.
COSTA RICA – Originária da Costa Rica.
COLUMARIS – Variedade de grande porte, em forma de coluna.
ERECTA – Originária da Jawa.
GOIABA – Caracteriza-se por possuir sépalas desenvolvidas e resistentes
que propiciam ao fruto, quando maduro, o aspecto de uma goiaba.
GUATEMALA – Originária da Guatemala.
INTERMEDIA – Originária da África.
JAWA – Originária da Jawa.
LAURINA – De pequeno porte, apresenta abundante vegetação. Suas
folhas são pequenas, elípticas e lisas. Seus frutos são
mais alongados na base.
MAURITIANA – Originária das Ilhas Mascarenhas.
MOKKA – Variedade de porte, folhas e frutos pequenos, mas de excelente bebida.
MEXICO – Originária do México.
MONOSPERMA- Suas flores são em geral estéreis a quando germinam
suas sementes, são arredondadas, sendo uma só em cada fruto. Suas
folhas são alongadas.
NICARAGUA – Originária da cidade de Nicarágua.
PÊNDULA – Cafeeiro de grande porte com ramificações longas
a caídas, possui folhas nas extremidades. Suas flores são bastante
estéreis.
POLYSPERMA – Sua principal característica é a de sempre apresentar
mais de duas sementes em cada fruto.
PORPURASCENS – Tem como ponto característico a coloração
arroxeada de suas flores.
PORTO RICO – Originária de Porto Rico.
RODUNDIFOLIA – Originária de Jawa.
RUGOSA – Apresenta enrugamento na página inferior das folhas.
SALVADOR – Originária de El Salvador.
SAN RAMON – Originária da Costa Rica. É recomendada como planta
ornamental por seu porte reduzido abundância de flores e frutos.
SEMPERFLOREW – Foi encontrada em Ribeirão Preto, SP, produz simultaneamente
flores e frutos durante toda o ano.
SOUFFRIERRE – Originária da Republica Dominicana
TETRAMERA – Apresenta flores com apenas 4 pétalas de 4 estames.
TRUJILO – Originária da Venezuela
VARIEGATA – Apresenta manchas amarelas nas folhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *