Bolsa do Café é um dos principais cartões-postais de Santos

Imprimir

Construída para controlar o mercado cafeeiro, a Bolsa Oficial de Café, no Centro Histórico de Santos, é um dos principais cartões-postais da Cidade. Inaugurado em 1922, como parte das comemorações da Independência do Brasil, o prédio se tornou um dos maiores símbolos da riqueza dos negócios do café e um importante ponto turístico visitado diariamente por centenas de pessoas.

Tombado no dia 12 de março de 2009 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o edifício de estilo arquitetônico eclético tem cerca de seis mil metros quadrados, 200 portas e janelas. Desde 1998 abriga também o Museu do Café.

A Sala do Pregão, onde aconteciam as negociações do café brasileiro, impressiona pela grandiosidade. São 81 cadeiras que representavam a hierarquia da bolsa. Na plataforma, ficavam os assentos da diretoria, com o do presidente ao centro. Nas laterais, há 70 cadeiras para os corretores oficiais. Todo o mobiliário é em madeira jacarandá.

No teto, encontramos o vitral A visão de Anhanguera, do pintor Benedicto Calixto. Ao fundo, mais três obras do famoso artista, como painéis feitos com óleo sobre tela. O maior deles, com 153 figuras, mostra a elevação de Santos à categoria de vila.

Acervo

O museu tem ainda uma série de objetos e documentos que formam seu acervo e mostram a evolução da cafeicultura e o desenvolvimento político, econômico e cultural do País.
Na Sala do Centro de Preparação do Café, a figura do estivador Jacinto chama atenção do público. O trabalhador ficou famoso por tirar fotos carregando até cinco sacos de café, aproximadamente 300 quilos.

Entre os objetos, destacam-se ainda a mesa de prova, onde era feita a degustação do café, e a mesa de classificação, onde era identificado o tipo do produto.

Há 30 anos visitando parentes em Santos, a cabeleireira Geonilda Freire e o marido Josemar Gregório nunca tinham ido ao Museu do Café. Eles moram em Amparo, Interior de São Paulo, e estão passando as férias em Santos.

A chuva de ontem frustrou a ida à praia, mas levou a família toda até o local. “A gente está explicando toda a história para as nossas netas”, contou Geonilda. As meninas, Maria Vitória, de sete anos, e Ana Beatriz, de 15, gostaram do passeio. “Interessante porque alimenta o conhecimento”, disse Ana.

Visitação

Até fevereiro, término da temporada de verão, o local pode ser visitado de segunda a sábado, das 9 às 17 horas, e aos domingos, das 10 às 17 horas. Apenas no domingo a entrada é gratuita. Nos outros dias, o ingresso custa R$ 5,00. Professores, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Crianças até cinco anos entram de graça. O endereço é Rua XV de Novembro, 95.

Até fevereiro, espaço pode ser visitado de segunda a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos, das 10h às 17h

Programação de férias

O projeto O museu do Café vai ao Orquidário acontece todos os domingos de janeiro. A programação inclui plantio de mudas de café, violinha de café e dica do barista, sempre das 14 às 16 horas.

Além disso, até o dia 31, o público pode conferir a mostra educativa Conhecendo o Café. O Orquidário de Santos fica na Praça Washington s/nº, no José Menino. Funciona das 9 às 18 horas e o ingresso custa R$ 5,00.

Fonte: A Tribuna

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *